Empresários de sucesso cuidam da espiritualidade

Empresários de sucesso cuidam da espiritualidade

Bruno Gimenes*

05 de dezembro de 2019 | 10h40

Bruno Gimenes. FOTO: DIVULGAÇÃO

Você já se questionou como os milionários pensam? Quais são os padrões de comportamento identificados em quem alcança prosperidade financeira? Diversas pesquisas feitas com empresários de sucesso de todo o mundo apontam características em comum, entre elas, o cuidado com a própria espiritualidade. Alguns empreendedores mais visionários vão além e incentivam o autoconhecimento de seus colaboradores e a liberdade de eles também focarem em sua espiritualidade. O resultado são profissionais muito mais felizes, realizados, potentes e engajados.

Por que, então, esse é um tema ainda tão controverso e difícil? Primeiramente, é preciso compreender o que é espiritualidade, palavra muito distorcida na sociedade. Dizer “espiritualidade” é a mesma coisa que dizer “algo diferente da materialidade”. É o extrafísico, aquilo que está além das fronteiras da matéria e que, normalmente, só é percebido e compreendido por sentidos mais aguçados, como a força do pensamento, o sentimento, a intuição e tantas outras percepções que o ser humano tem. Enfim, de maneira resumida, a espiritualidade é um estado de consciência que faz com que vejamos, com que captemos o mundo de uma forma diferente.

Sabendo disso, imagine a força de uma pessoa espiritualista, que consegue equilibrar o lado material da vida com a capacidade de relacionar aquilo que intui, percebe, sente e acredita. Esse é um conhecimento milenar que foi perdido ao longo da história.

A administração e a gestão das empresas da era moderna foram baseadas no modelo mecanicista desenvolvido a partir da Revolução Industrial. A lógica da linha de produção regeu organizações consideradas eficientes por séculos. Nessa estrutura, não havia lugar para a subjetividade, a criatividade e a espiritualidade.

Esse modelo inspirado nas máquinas ainda influencia fortemente a organização das empresas, mas a sociedade começa a perceber que ele está desgastado e que é preciso desenvolver novas formas de absorver toda a potencialidade e a variabilidade do humano. Pensando nisso, alguns empresários visionários passaram a aplicar métodos que absorvam a criatividade e até mesmo a subjetividade nas corporações.

Grandes nomes do mundo dos negócios são conhecidos por perceberem que uma vida de sucesso não se faz sem paixão pelo que se faz, equilíbrio, autoconhecimento e autocontrole. É o caso de Steve Jobs, Bill Ford (CEO da Ford), Evan Williams (cofundador do Twitter), Oprah Winfrey, Deepak Chopra, Barbara Corcoran, entre outros.

Algumas características observadas em pessoas prósperas, que mudaram sua visão de mundo e alcançaram realização em todos os aspectos da vida, são: integridade; agir, independentemente de medo; aprender a respeitar as diferenças e não julgar; aproveitar as oportunidades; ter certeza do que se quer e correr atrás; ficar feliz diante das críticas; fazer de tudo para sentir-se bem e entender a importância do ócio; praticar a gratidão; levantar-se diante das crises; eliminar a ansiedade; ser organizado; ser gentil; e admirar outras pessoas que atingem o sucesso.

No Grupo Luz da Serra, instituição da qual sou cofundador, aplicamos essas práticas simples e transformadoras. Os resultados têm sido palpáveis. Em novembro deste ano, recebemos duas premiações no ranking Great Place To Work (GPTW): 1º lugar na categoria de melhor empresa para se trabalhar na Serra Gaúcha e 2º lugar como melhor empresa de até 99 colaboradores para se trabalhar em todo o Estado do Rio Grande do Sul.

Essas conquistas são a consequência da nossa prática: agimos de acordo com o que defendemos. Cuidamos de nossos colaboradores da mesma forma que cuidamos dos nossos mais de 82 mil alunos cadastrados em eventos, palestras e treinamentos no mundo todo, dos mais de 1,4 milhão de inscritos no nosso canal do YouTube e dos leitores da nossa editora, que tem inúmeras publicações na lista dos livros mais vendidos do país.

A prosperidade é uma consequência de práticas simples que transformam o mundo. Dela emanam abundância e felicidade em tudo o que tocamos. É o “toque de Midas” que o Universo só dá de presente aos seres dispostos a fazerem a sua reforma íntima.

*Bruno Gimenes, professor, palestrante e cofundador da Instituição Luz da Serra

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: