Empresário admite caixa dois na campanha de ‘Guti’, prefeito de Guarulhos

Empresário admite caixa dois na campanha de ‘Guti’, prefeito de Guarulhos

Ex-gestor de um portal noticioso do município da Grande São Paulo revelou ao Estado suposto acerto entre ex-administradores do veículo e um 'assessor' do então candidato para pagamentos 'por fora' para realização de pesquisa eleitoral no segundo turno, em 2016

Luiz Vassallo

12 Junho 2018 | 05h08

Prefeito de Guarulhos Gustavo Henric Costa o Guti (PSB) FOTO:WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Um ex-gestor de um portal noticioso de Guarulhos admitiu a prática de caixa dois em benefício da campanha que elegeu atual prefeito da cidade, Gustavo Henric Costa, o Guti (PSB), em 2016. Ele cita um suposto acerto entre ex-administradores do veículo de imprensa e um ‘assessor’ do então candidato para que o veículo fosse pago ‘por fora’ pela contratação e divulgação de duas pesquisas eleitorais durante o segundo turno. Documentos obtidos com exclusividade pelo Estado revelam transações de R$ 150 mil de uma pessoa física e uma loja de óleos essenciais para a conta do portal no segundo turno das eleições de 2016.

+ José Dirceu e o caixa dois em eleições municipais, segundo delatores

Filiado ao PSB por influência do governador Márcio França, Guti derrotou Eli Corrêa Filho (DEM) com 83,5% dos votos no segundo turno das eleições de 2016. A cidade vivia uma hegemonia petista desde 2001 – o PT sequer foi ao segundo turno.

+ Militantes ficam feridos após sessão do Escola sem Partido em Guarulhos

Reprodução de trechos de extrato de antiga conta bancária do jornal GuarulhosWeb obtidos pelo Estado

Em outubro daquele ano, o portal noticioso GuarulhosWeb imprimiu edições impressas que traziam resultados de pesquisas eleitorais. O veículo contratou duas pesquisas da empresa Interativa no segundo turno que já demonstravam a iminente vitória de Guti. Uma delas, publicada no dia 30, atribuía ao então candidato 82,2% dos votos. As pesquisas foram registradas no TSE, conforme ressaltou o próprio Instituto ao Estado.

+ GCM usa bombas de efeito moral para dispersar manifestantes em Guarulhos

O Estado obteve acesso a um extrato da conta bancária do jornal com transações de 2016. No documento, consta a contratação de uma gráfica, pelo valor de R$ 11 mil, além de dois depósitos de R$ 10 mil e R$ 15 mil à Interativa Pesquisas, em outubro.

O jornal recebeu, ainda naquele mês, quatro transferências que somam o valor de R$ 130 mil da loja de essências Arte Feita, sediada em São Bernardo do Campo, e outros R$ 20 mil de uma pessoa física de nome Rosana, que não foi identificada pela reportagem. Em datas próximas aos repasses, há transferências de valores semelhantes para destinatários desconhecidos.

Loja essências aberta em nome de Cristiano Horcel, dono da Arte Feita, atualmente dissolvida, segundo a Junta Comercial de São Paulo. Foto: Luiz Vassallo

Questionado pelo Estado sobre os pagamentos da loja de essências e da pessoa física à época da campanha, o empresário Décio Pompeo Jr., que fazia parte da gestão do jornal, admitiu ter recebido um pedido do atual diretor da autarquia municipal PROGUARU, Léo Lago, ‘que era assessor do Guti’, para o custeio das pesquisas.

“Fomos chamados para um papo com o Léo Lago, que era assessor do Guti, para que a gente fizesse 100 mil jornais e uma pesquisa. Ele disse que eles pagariam depois. Dessa negociação, ficou acertado que haveria duas vezes a impressão de 100 mil jornais e o custeio e reprodução de duas pesquisas. Nós fizemos isso. Entrou o dinheiro na conta do Guarulhos Web”.

“Tenho ciência de que isso foi caixa dois para a campanha do Guti e reafirmaria minha versão às autoridades responsáveis por investigar o caso”, afirma Décio Pompeo Jr., que esteve à frente do GuarulhosWeb.

Pompeo afirma que seu ex-sócio Ernesto Zanon, atual diretor de Comunicação da Prefeitura, fez a ‘tratativa para operacionalizar os pagamentos ao GuarulhosWeb’. No ano seguinte à eleição, o portal foi vendido a novos proprietários.

Crime eleitoral. Para o advogado especialista em direito eleitoral, Pedro Horta, ‘se ele [jornal] publicou sem ter um contrato veiculado, sem falar a fonte pagadora, e assumiu, e agora diz que foi pago por terceiro, laranja, está incurso no crime, assim como o candidato, que teria pedido a veiculação’. “Isso tudo tem que ser comprovado e está incurso no delito”.

COM A PALAVRA, A PREFEITURA DE GUARULHOS

“O prefeito de Guarulhos afirma que jamais teve apoio de órgão de imprensa durante o período eleitoral. De forma oposta teve sim sua campanha prejudicada pela divulgação de diversas pesquisas eleitorais que divergiram dos resultados apurados na eleição de 2016. O prefeito ainda reitera que seu apoio veio da população que de forma viral propagandeava suas ideias através das redes sociais. Sua campanha pautou-se pela ética e teve que percorrer caminhos não onerosos, haja vista ter sido uma das campanhas de menor custo dentre todas as demais.

O prefeito ainda esclarece que não conhece a empresa de São Bernardo, tão pouco tenha solicitado qualquer tipo de intervenção a quem quer que seja no sentido contratar serviços diversos daqueles constantes em sua prestação de contas que já foram aprovadas pela Justiça Eleitoral.

Cabe ainda ratificar que a senhora Simone não trabalhou nesta gestão.

Sobre Décio Pompeo Junior, a Prefeitura informa que, apesar dele não ser jornalista, o comerciante mantém um site na cidade, utilizado para espalhar também notícias falsas com o objetivo de denegrir a imagem da atual gestão. Por este motivo, o prefeito confirma que já o acionou juridicamente por diversas vezes, aguardando a decisão judicial.

Sobre Ernesto Zanon, a Prefeitura confirma que ele é atualmente diretor de Assuntos para a Imprensa da municipalidade. Ele informa que jamais encomendou qualquer pesquisa a pedido de algum político, mesmo tendo sido no passado assessor parlamentar do então deputado federal Carlos Roberto (PSDB), que naquele pleito figurava como candidato a prefeito, constando inclusive pagamento realizado a este jornalista em sua prestação de contas ao TSE. Reitera que as pesquisas encomendadas pelo Guarulhosweb, no período em que ele figurava como editor da publicação, foram bancadas com recursos próprios da empresa de propriedade de Simone Singh Carlos.

Ernesto Zanon informa ainda que, devido às dificuldades financeiras que enfrentava, chegou a obter alguns empréstimos junto a instituições financeiras e amigos pessoais, tendo os comprovantes (notas promissórias e quitações) destas transações”.

COM A PALAVRA, SIMONE SINGH

“Não temos como prática comentar relações comerciais firmadas com parceiros. Causa muita estranheza um extrato bancário de titularidade da empresa que eu era a proprietária ter chegado às mãos de pessoas estranhas ao quadro societário. Dessa forma, se restar comprovado que tal documento esteja circulando de forma pública, sem o nosso conhecimento e anuência, ficará evidente que o sigilo bancário da minha empresa foi violado.

O jornal realizou sim a pesquisa, que correspondeu à verdade daquele momento eleitoral. Porém, em momento algum houve o pedido por parte da campanha do atual prefeito.

Apesar da matéria citada mostrar o senhor Décio como responsável, ele nunca figurou no quadro societário. Mas tenho conhecimento que ele, por conta própria, para angariar anunciantes para o site, se autointitulava sócio”.

COM A PALAVRA, O JORNAL GUARULHOS WEB

“O GuarulhosWeb é um portal de notícias criado em 1999 pelo jornalista Ernesto Zanon e por Danilo Sanches, sendo o primeiro site de notícias online na cidade de Guarulhos. Desde então, passou por diversas fases, sempre pautado pela credibilidade de seus proprietários, respeitados no meio jornalístico e político do município.

Tanto que em 2003 o GuarulhosWeb foi contratado pelo Jornal da Tarde, do grupo Estado, para produzir diariamente uma página com notícias de Guarulhos veiculadas naquele periódico. A parceria durou dois anos até o final de 2004.

Em 2005, o GuarulhosWeb se integrou ao grupo Mídia Guarulhos, sendo responsável pelas produções editoriais do grupo como Jornal do Farol, Jornal do Farol Autos e Revista do Farol. Em 2008, junto ao grupo, foi responsável pelo lançamento do jornal diário Guarulhos Hoje, que circula até os dias de hoje e se tornou o principal da cidade.

Em paralelo às atualizações editoriais do portal, o GuarulhosWeb produziu ao longo de todo este tempo diversas publicações impressas, como a revista de bolso GuarulhosWeb Impresso, o jornal semanal GuarulhosWeb Tablóide e, posteriormente, desde 2014 novamente em formato de jornal o GuarulhosWeb Impresso. A partir de 2015, devido ao foco online prevalecer, o jornal impresso passou a circular eventualmente em datas específicas comemorativas ou momentos de grande importância para o cenário local.
Em outubro de 2016, o GuarulhosWeb Impresso teve quatro edições durante o período entre o 1º e o 2º turno das eleições municipais, sendo responsável pela contratação de duas pesquisas eleitorais devidamente registradas na Justiça Eleitoral, quando houve o acerto dos resultados das urnas, o que confirmou a credibilidade do veículo e do instituto contratado. Depois dessas edições, houve edições comemorativas também nos aniversários de Guarulhos em 2016 e 2017.

Em 2017, devido a problemas financeiros enfrentados pela então proprietária Simone Singh Carlos, o portal foi vendido, e em setembro ganhou nova personalidade jurídica, passando a se chamar GuarulhosWeb Editora Ltda.

Em 2012, Ernesto Zanon deixou de ser proprietário, passando a atuar apenas como editor e colaborador, posição que ocupou até dezembro de 2016. Em 2015, Danilo deixou a sociedade, quando a empresa passou a ter como única dona a senhora Simone, e passou a atuar como administrador.

Nestes 18 anos de história, o GuarulhosWeb se consolidou como o principal site de notícias online de Guarulhos, acumulando recordes seguidos de visualizações, tornando-se referência de imprensa para a população local e também para a grande imprensa. Durante a recente cobertura da crise gerada pela greve dos caminhoneiros, no final de maio, o portal chegou a ter mais de 325 mil visualizações em um só dia, terminando o mês com nada menos do que 2,7 milhões de acessos”.

COM A PALAVRA, CRISTIANO HORCEL

“Ainda não consegui ter acesso a meus extratos deste período e o gerente não está mais me atendendo, deve ter ido embora. Mas o Zanon realmente mais de uma vez me pediu dinheiro emprestado, para tocar seus projetos, mas não sei se vem ao caso… Assim como em outros momentos ele também me ajudou muito, sendo o cara, como te contei, que deu inclusive meu primeiro emprego como jornalista há mais de 20 anos. Mas tenho certeza que nunca tive qualquer relação comercial com jornal, portal ou veículo de Guarulhos . Mesmo que tenha sido uma situação dessa, sei que hoje ele não me deve mais nada”.

COM A PALAVRA, LÉO LAGO

“Em nenhum momento eu me reuni com Sr Décio Pompeo para falar de um custeamento de pesquisas, muito menos de reembolso na campanha… Conheço o o Décio, porém jamais tratei disso com Ele …”

Mais conteúdo sobre:

Guti; guarulhos