Empresa premiada do setor de fundos de pensão é acusada de fraude pela PF

Empresa premiada do setor de fundos de pensão é acusada de fraude pela PF

Mateus Coutinho

11 Março 2014 | 19h29

Operação Fundo Perdido prendeu sete membros da Plena Consultoria, que chegou a ser eleita por revista especializada como uma das mais importantes do País

por Fausto Macedo e Mateus Coutinho

Escolhida pela revista especializada em fundos de pensão, “Investidor Institucional”, como uma das melhores consultorias de investimentos no País, a empresa Plena Consultoria foi alvo da Operação Fundo Perdido, da Polícia Federal nesta terça-feira, 11. Ao todo, sete membros da companhia foram presos por suspeita de envolvimento em um esquema de fraudes de fundos de pensão de servidores municipais em todo o Brasil.

Além deles, a PF ainda apreendeu R$ 1 milhão e executou 14 mandados de busca e apreensão em São Paulo e São José do Rio Preto

O economista-chefe da empresa, José Eduardo de Toledo Abreu Filho chegou a ser premiado com o “Trófeu Benchmark 2013” – premiação feita pela revista para escolher os melhores profissionais do mercado financeiro por meio da votação entre os leitores da publicação especializada. Contudo, para o chefe da Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros (Delefin) da PF, delegado Rodrigo Sanfurgo, nenhum investidor com conhecimento razoável do mercado aplicaria nos papéis oferecidos pelo grupo. “Não são aplicações de alto risco, mas absolutamente temerárias.”

A Polícia Federal não divulgou o nome dos membros da empresa que foram presos.

Como revelou o Blog do Fausto nesta terça, os investidores da empresa são acusados pela PF de cooptar gestores dos fundos das previdências municipais mediante pagamento de comissão para que aqueles fundos investissem nas aplicações sugeridas pela organização criminosa.

A Plena Consultoria cobraria irrisórios R$ 600 de cada fundo de previdência para ter a incumbência de investir no mercado o dinheiro dos servidores, que, por sua vez, são vítimas do golpe. Até o momento, a polícia não aponta o envolvimento de políticos ou administradores públicos.

Até o fechamento desta matéria, a assessoria da Plena informou que ainda não tinha informações sobre as prisões realizadas nesta terça-feira.

 

Mais conteúdo sobre:

Plena ConsultoriaPolícia Federal