Em vídeo, procurador comunica que coronavírus o tirou da campanha nos gabinetes

Em vídeo, procurador comunica que coronavírus o tirou da campanha nos gabinetes

Antonio da Ponte, candidato a procurador-geral de Justiça de São Paulo, informa a colegas que vai contactar os colegas do Ministério Público que ainda não foram visitados por outras formas de comunicação

Redação

17 de março de 2020 | 12h43

Da Ponte. Foto: Associação Paulista do Ministério Público

O procurador de Justiça Antonio Carlos da Ponte, de 55 anos, decidiu adiar as reuniões de sua campanha a procurador-geral de São Paulo diante da crise do novo coronavírus e informou, em vídeo, que vai contactar os colegas do Ministério Público que ainda não foram visitados por outras formas de comunicação. Ele ressalta que o enfrentamento à crise exige ‘responsabilidade, atitude e cuidado’.

“O importante é que o Ministério Público não fique omisso, e muito menos que ele não conduza uma situação tão grave como essa a uma decisão alheia à responsabilidade da própria instituição. Unidos certamente venceremos essa batalha”, diz procurador que defende a ‘democracia interna’ no MP-SP, incluindo a possibilidade de também os promotores concorrerem ao topo da instituição.

As eleições serão em abril, sendo que 1.700 promotores e 300 procuradores são os eleitores. Também concorre ao topo da instituição o procurador de Justiça Mário Luiz Sarrubbo, de 57 anos, que e disputa o cargo pela situação, com apoio do atual chefe do MP paulista, o procurador-geral de Justiça Gianpaolo Poggio Smanio.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: