Em habeas corpus, defesa de Queiroz pede prisão domiciliar por causa do estado de saúde

Em habeas corpus, defesa de Queiroz pede prisão domiciliar por causa do estado de saúde

Pedido foi apresentado nesta sexta à Justiça do Rio e encaminhado para a 3ª Câmara Criminal, que cuida do caso

Caio Sartori/RIO

19 de junho de 2020 | 19h59

Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, deixa o Instituto Médico Legal de São Paulo. Foto: EFE/Sebastião Moreira

A defesa de Fabrício Queiroz entrou com pedido de habeas corpus nesta sexta-feira, 19, na Justiça do Rio. No texto, o advogado Paulo Emílio Catta Preta pede que o suposto operador financeiro de Flávio Bolsonaro vá para prisão domiciliar por causa do estado de saúde dele, que se recupera de um câncer.

Além desse aspecto, a defesa também questiona a necessidade de mantê-lo preso sob o argumento de “ameaça às investigações”. O advogado entende que as afirmações do Ministério Público no pedido de preventiva são ilações – e ignoram, por exemplo, a contemporaneidade dos fatos.

“A questão mais relevante que me parece é que a jurisprudência da prisão preventiva exige a contemporaneidade, quase simultaneidade dos fatos. Os fatos investigados dizem respeito a 2018; outros elementos narrados, a dezembro de 2019. Esses elementos vão exigir uma estratégia dialética de contradição”, disse Catta Preta ao Estadão.

Questionado se o fato de Queiroz ter participado de churrasco com bebida alcoólica prejudicaria o argumento de saúde prejudicada, Catta Preta afirmou que não. “De forma alguma. O tratamento vem sendo feito e a pessoa pode vez ou outra participar de um churrasco de forma comedida. O estado de saúde depende do que que dizem os médicos.”

O habeas corpus foi encaminhado para a 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, cujos desembargadores já negaram pedidos anteriores de Queiroz e Flávio.

Queiroz está preso desde ontem em Bangu, na zona oeste do Rio, no Complexo Penitenciário de Gericinó. Ele foi detido em Atibaia, São Paulo, na casa do advogado de Flávio, Frederick Wassef.

Tudo o que sabemos sobre:

Fabrício Queiroz

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.