Em cima da hora, Bolsonaro desmarca presença em formatura dos cadetes da Aeronáutica

Em cima da hora, Bolsonaro desmarca presença em formatura dos cadetes da Aeronáutica

Presidente eleito alega agenda intensa e necessidade de repouso médico para desmarcar participação em evento na Academia da Força Aérea, em Pirassununga (SP), onde estiveram presidente do Supremo, Dias Toffoli, e ministro da Defesa, General Silva e Luna

Ricardo Brandt e Mateus Fagundes, enviados especiais a Pirassununga

07 Dezembro 2018 | 20h35

A formatura dos aspirantes é a mais relevante cerimônia da Academia da Força Aérea Brasileira (AFA). Jair Bolsonaro (PSL) confirmou presença para o evento, realizado em Pirassununga (SP). Às 10 horas desta sexta-feira, 7, o horário marcado, os 148 militares da Turma Jaguar no Ninho das Águias estavam perfilados para início do rito de passagem. O capitão da reserva e presidente eleito era ainda esperado por alguns, quando anunciou via página no Twitter que não compareceria para repousar por ordens médicas.

“Em razão da extensa rotina e agenda nos últimos dias e poucas horas de sono, em conversa com a equipe médica e me acompanha, recebi recomendação expressa de, no dia de hoje, repousar”, escreveu Jair M. Bolsonaro. ‘Por este motivo, cancelamos a ida à Academia da Força Aérea e seguimos para o Rio de Janeiro.”

Alheios aos problemas de saúde do capitão da reserva – decorrentes da facada no dia 6 de setembro, em plena campanha – e ao curto-circuito público vivido em seu partido, o PSL, integrantes do Alto Comando  das Forças Armadas estavam presentes, entre eles o chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante de esquadra brasileiro Ademir Sobrinho, o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato, o comandante da Marinha do Brasil, o almirante-de-esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira. O ministro da Defesa, General Joaquim Silva e Luna, presidiu a solenidade. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, também se deslocou à Pirassununga.

Havia também políticos, como o deputado e senador eleito Major Olímpio (PSL-SP), deputados eleitos, entre eles um “general”, um coronel” e um “capitão”. E um maior número de profissionais da imprensa, avisados na noite de ontem sobre a agenda e surpreendidos pela ausência de Bolsonaro.

No horário marcado, os 148 cadetes oriundos da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR), em Barbacena (MG), realizaram o rito de conclusão dos quatro anos de curso na AFA, em Pirassununga, com a entrega dos espadins e o recebimento das espadas – símbolo do oficial das Forças Armadas -, assistidos pelos familiares, em roupas de gala, sob um sol escaldante e impiedoso de verão, em plena primavera.

Sem o capitão da reserva e muito assunto político em pauta, a imprensa presente falou com com o senador eleito Major Olímpio. Na entrada e na saída, rebateu o fogo-amigo que envolve um bate-boca tornado público da deputada eleita Joice Hasselmann (PSL-SP) com um dos filhos de Bolsonaro, disse que o governo eleito não vai interferir na formação das mesas diretoras da Câmara e do Senado e defendeu correligionários e endossou críticas ao senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Duas horas depois de iniciada a formatura, a imprensa deixou o local, sem Bolsonaro. Os 148 futuros pilotos das Aeronáutica Brasileira encerraram a solenidade com o tradicional arremesso dos quepes ao ar.