Em áudio, Temer é informado por Joesley sobre procurador corrompido

Em áudio, Temer é informado por Joesley sobre procurador corrompido

Executivo do Grupo JBS, alvo de investigações, disse ainda que 'deu conta' de um juiz e 'segurada' em outro

Fabio Serapião, Fábio Fabrini e Beatriz Bulla, de Brasília

18 de maio de 2017 | 20h36

Pronunciamento do presidente da Republica Michel Temer no Palacio do Planalto em Brasilia. Temer foi flagrado em gravação de audio feita pelo empresario Joesley Batista, endossando a compra do silencio do ex-deputado Eduardo Cunha. FOTO: DIDA SAMPAIO / ESTADÃO

A conversa de Joesley Batista com Michel Temer, gravada pelo empresário, revela que o presidente foi informado sobre a ‘compra’ de um procurador da República para ajudar os acionistas da Holding J&F com informações sobre as investigações em andamento. “Tô fazendo [pagando] R$ 50 mil por mês, me dá informação, pelo menos me dá informação. [Inaudível]”, diz Batista sobre o procurador Ângelo Goulart Villela, alvo de um mandado de prisão nesta sexta-feira, 18.

Villela é integrante da equipe do vice-procurador geral eleitoral, Nicolau Dino, e recentemente estava cedido à força-tarefa das operações Greenfield, Cui Bono e Sépsis, que apura crimes relacionados à JBS. O procurador teria tido encontros com representantes da JBS sem comunicar aos colegas.

Conforme as colaborações do executivos da J&F, numa ocasião, o procurador teria ligado para um dos investigadores da força-tarefa, na presença de integrantes do grupo empresarial, e colocado a conversa em viva-voz. Ele também teria tirado uma cópia de diálogo de procuradores sobre do caso, em grupo privado do Instagram, e repassado à empresa.

Nesse mesmo trecho da conversa entre Temer e Joesley, o empresário cita também que “deu conta” de um juiz e “uma segurada” em outro juiz. Dois juízes atuam em Brasília nos casos envolvendo empresa da J&F, Vallisney de Souza e Ricardo Leite, respectivamente, titular e substituto da 10ª Vara Criminal de Brasília.

Joesley: Eu tô segurando as pontas. Tô indo. Eu tô meio enrolado aqui né. No processo assim, é, é, investigado, eu não tenho ainda a denúncia. Aqui eu dei conta de um lado o juiz, dei uma segurada, de outro lado o juiz substituto.

Temer: Tá segurando os dois?

Joesley: Segurando os dois. Eu consegui um procurador dentro da força tarefa, que também tá me dando informação e eu lá que eu tô pra dar conta de trocar o procurador que tá atrás de mim. Se eu der conta…tem o lado bom e o lado ruim. O lado bom é que dá uma esfriada até o outro chegar e tal e o lado ruim é que se vem um cara com raiva ou com não sei o que…

Temer: (inaudível)

Joesley: Não, o que está me ajudando tá bom. (…)Eu consegui colar um no grupo. Agora eu tô tentando trocar…

Temer: o que está (inaudível)

Joesley: Isso. Então tá meio assim. Ele saiu de férias…Até essa semana fiquei preocupado porque saiu um burburinho que iam trocar ele e não sei o quê. Tô contando essa história para dizer assim, eu tô me defendendo aí, tô me segurando lá.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.