Ele voltou

Ele voltou

Com apoio de 44 colegas, 18 deles sob investigação, Aécio Neves - acusado de pegar propina de R$ 2 milhões da JBS - retoma a rotina no Senado e também já pode sair de casa à noite, mas ainda é alvo de oito inquéritos da Lava Jato

Julia Affonso e Luiz Vassallo

18 de outubro de 2017 | 15h26

Aécio Neves. Foto: Reprodução/Senado

Após 21 dias afastado das funções parlamentares, por ordem do Supremo Tribunal Federal na investigação em que é suspeito de pegar propina de R$ 2 milhões da JBS, o senador Aécio Neves (PSDB/MG) está de volta à Casa. Até sua foto foi reinserida na página do Senado.

Veja quem devolveu o mandato a Aécio

Para retornar ao ninho, o tucano contou com apoio de 44 pares – 18 deles sob investigação da Operação Lava Jato -, que derrubaram nesta terça-feira, 17, medidas cautelares que haviam sido impostas a ele pelo Supremo Tribunal Federal, a saber, afastamento das atividades de senador, recolhimento domiciliar noturno e entrega do passaporte. Todas, agora, sem efeito nenhum.

Tudo o que sabemos sobre:

Aécio NevesSenadooperação Lava JatoSTF

Tendências: