Eike Batista detalhou cobrança de Mantega e acerto com marqueteiro do PT

Eike Batista detalhou cobrança de Mantega e acerto com marqueteiro do PT

Leia trecho do depoimento do empresário do Grupo OSX sobre pedido de propina de R$ 5 milhões em 2012 e repasse de US$ 2,3 milhões para conta secreta de João Santana

Ricardo Brandt, Julia Affonso e Fausto Macedo

22 de setembro de 2016 | 10h58

Eike Batista. Foto: Estadão

Eike Batista. Foto: Estadão

Em depoimento prestado à Operação Lava Jato, que embasou pedido de prisão do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega – alvo da 34ª fase deflagrada nesta quinta-feira, 22 -, detalhou como foi a reunião em que foi cobrado R$ 5 milhões, em 2012, para o PT referente a dívidas de campanhas. Ele ainda explicou como efetivou o repasse de US$ 2,3 milhões em conta secreta do casal João Santana e Mônica Moura, marqueteiros do PT.

O procurador Regional da República Carlos Fernando do Santos Lima afirmou que Eike é investigado, mas que a força-tarefa entendeu não haver necessidade de prisão do empresário.

Os valores repassados por ele foram pelo contrato do Consórcio Integra Ofsshore, formado pela OSX com a Mendes Júnior, para construção das plataformas de exploração de petróleo P-67 e P-70, para as camadas do pré-sal.

EIKE 1

EIKE 2

EIKE 3

EIKE 4

EIKE 6

EIKE 7

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: