Eduardo Fauzi na Difusão Vermelha da Interpol por ataque ao Porta dos Fundos

Eduardo Fauzi na Difusão Vermelha da Interpol por ataque ao Porta dos Fundos

Suspeito de atentado à produtora no Rio, alvo de explosão de coquetéis molotov na véspera do Natal, fugiu para a Rússia no dia 29 de dezembro, um dia antes de sua prisão ser decretada

Pepita Ortega e Fausto Macedo

08 de janeiro de 2020 | 12h50

Imagens de câmeras do Aeroporto Internacional Tom Jobim, no último dia 29, mostram embarque de Eduardo Fauzi Foto: Reprodução

O nome do economista Eduardo Fauzi Richard Cerquise, suspeito de participar do ataque com coquetéis molotov contra a produtora do Porta dos Fundos, foi incluído na lista de Difusão Vermelha da Interpol.

A difusão vermelha é o alerta máximo da Interpol e limita os deslocamentos do alvo. Se ingressar em território que integra a comunidade policial, Fauzi pode ser imediatamente detido.

O economista está foragido desde o último dia 30, quando a Polícia Civil tentou cumprir mandado de prisão contra ele em quatro endereços ligados a ele no Rio de Janeiro, mas não o encontrou. Depois, descobriu-se que Fauzi havia embarcado para a Rússia um dia antes de sua prisão ser decretada.

Já no País, Eduardo Fauzi divulgou um vídeo de pouco mais de sete minutos em que ataca o Porta dos Fundos e utiliza argumentos cristãos para chamar os humoristas de ‘intolerantes, marginais e bandidos’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.