‘Eduardo Cunha é um psicopata, um doente’, diz Jarbas Vasconcelos

‘Eduardo Cunha é um psicopata, um doente’, diz Jarbas Vasconcelos

Peemedebista histórico, um dos fundadores do partido defende saída do presidente da Câmara, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura; 'ele não tem amigos'

Fausto Macedo

01 de dezembro de 2015 | 17h22

Eduardo Cunha e Jarbas Vasconcelos. Fotos: Estadão e Reprodução

Eduardo Cunha e Jarbas Vasconcelos. Fotos: Estadão e Reprodução

O deputado Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) afirmou na noite de segunda-feira, 30, que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é ‘um psicopata, um doente’ e não tem condições de continuar no cargo. As declarações foram dadas durante o programa Roda Viva, da TV Cultura.

“Ele é um psicopata, um doente, mania de perseguição. Ele não tem amigos. O psicopata não sabe o que é um alvorecer, um anoitecer. Ele não tem sentimento para isso. Ele não tem amigos, tem seguidores, admiradores”, disse. “Hoje, exerce a presidência da casa com pessoas-chave, desqualificadas, grande parte desqualificadas, que estão a frente dos destinos da Câmara dos Deputados. Ele vai levar isso a onde ele puder levar, na base da mentira, do cinismo e da chantagem.”

A ÍNTEGRA DA ENTREVISTA DO DEPUTADO JARBAS VASCONCELOS

Eduardo Cunha foi denunciado pelo Ministério Público Federal em agosto, por corrupção e lavagem de dinheiro. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF) em que acusa Eduardo Cunha de ter recebido propina no valor de ao menos US$ 5 milhões para viabilizar a construção de dois navios-sondas da Petrobras, no período entre junho de 2006 e outubro de 2012.

[veja_tambem]

O deputado Jarbas Vasconcelos, um dos fundadores do PMDB, defende a saída do presidente da Câmara. “Nós estamos em uma situação de absoluta anormalidade, com a presidente sem nenhuma credibilidade, perdeu todas as credibilidades, um partido que se descaracterizou totalmente e um presidente da Câmara que não tem a menor condição hoje de presidir a Câmara. Ele não tem desde o dia 20 de agosto quando foi formalizada a denúncia.”

Mais conteúdo sobre:

Eduardo CunhaJarbas Vasconcelos