É possível aprender nos pequenos detalhes do dia a dia

É possível aprender nos pequenos detalhes do dia a dia

Vívian Cristina Rio Stella*

05 de janeiro de 2021 | 06h30

Vívian Cristina Rio Stella. FOTO: DIVULGAÇÃO

Manter a cultura de aprendizagem para a vida pode trazer uma sensação de que os conhecimentos devem ser adquiridos somente nas salas de aulas ou no meio corporativo. Gosto de bater na tecla de que o lifelong learning não deve ter fronteiras: é possível aprender nos pequenos detalhes do dia a dia, basta estar com esse olhar ampliado. É verdade que o aprendizado não tem hora para acabar, mas existem muitas outras possibilidades além do ensino formal. E o que isso quer dizer? A própria pandemia nos trouxe essa oportunidade, possibilitando que o digital fosse ainda mais uma ótima ferramenta para aprender.

Entretanto, apenas lives, webinars, workshops, cursos e aulas não devem ser o foco, pois acabam se enquadrando em uma postura formalizada. Além dos diplomas e dos certificados, existe uma jornada na vida real de desenvolvimento. Fazer uma curadoria daquilo que acompanhamos nas redes sociais é fundamental, optando por pessoas e figuras que estejam alinhadas aos nossos propósitos e objetivos. Além de não perdermos tempo apenas rolando o feed, teremos conteúdos mais descontraídos e simplificados, reforçando a aprendizagem em um ato tão automático de nossas vidas.

Outra ação interessante é encontrar no lazer, em momentos de entretenimento, conteúdos que possam aumentar o repertório e a bagagem, seja assistindo séries, programas ou filmes, lendo livros, jogando ou brincando com os filhos, entre outras atividades da rotina. Uma dica: não encare esse processo como um sacrifício ou dificuldade – quanto mais leve, mais natural as coisas vão fluir. É preciso estar disposto a aprender algo novo e fazer disso a sua mentalidade.

Mas afinal, porque é tão importante manter-se aprendendo? Esse é o futuro, o mercado de trabalho está cada vez mais interessado em profissionais que cultivam as competências comportamentais e técnicas, reforçando a importância de compartilhar ideias, ouvir pessoas e criar conexões que expandem os horizontes do conhecimento. Sem contar que as transformações em geral têm sido cada vez mais rápidas, o famoso Mundo VUCA (Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade), exigindo de nós essa necessidade pulsante de aprender e reaprender sempre que possível.

Levanto a bandeira da aprendizagem ao longo da vida a partir da união de formatos e maneiras de ensino formal, informal e não formal. O diferencial está em integrar o que foi aprendido com as informações e a sabedoria que já temos. Vamos juntos?

*Vívian Cristina Rio Stella, doutora em linguística pela Unicamp, com pós-doutorado pela PUC-SP. Idealizadora da VRS Academy. Professora da Casa do Saber, da Aberje e da Casper Líbero

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.