‘É essa a economia que nós queremos?’

‘É essa a economia que nós queremos?’

Procurador-geral da República Rodrigo Janot afirma em entrevista a Roberto D'Avila, da Globo News, que a Lava Jato descobriu uma economia 'cartelizada, de compadrio'

Da Redação

06 de julho de 2017 | 12h52

Rodrigo Janot. Foto: Alex Silva/Estadão

O procurador-geral da República Rodrigo Janot afirmou que a Operação Lava Jato ‘atua de forma profissional, apolítica e técnica’. “Apuramos fatos definidos pela lei como ilícitos”, ele declarou, em entrevista ao jornalista Roberto D’Avila, da Globo News.

Indagado se a Lava Jato contribuiu para a crise econômica muito forte no Brasil, Janot disse. “Descobrimos que setores da economia brasileira eram fortemente cartelizados, a economia brasileira só funcionava com pagamento de propinas e num círculo nada virtuoso. Quanto mais propina eu pagava mais mercado eu capturava, e quanto mais mercado eu capturava, mais dinheiro eu pagava e mais propina eu pagava. E com isso eu conseguia capturar mais mercado.”

“Somos um país de livre iniciativa, somos um país capitalista”, disse Janot. “E temos que sê-lo. Num país de regime capitalista o pressuposto é concorrência, é liberdade de concorrência no mercado, é saúde do mercado. Se o que queremos é uma  economia de compadrio, cartelizada, movida a propina, que erige barreiras para que outras empresas possam vir para a competição, nós temos que perguntar: é essa a economia que nós queremos? É essa a economia que está em crise.”

Tendências: