Dossiê Fantoche

Dossiê Fantoche

Confira em 324 páginas relatórios da Polícia Federal e do Tribunal de Contas da União e despachos judiciais que contam os caminhos da investigação sobre supostas fraudes milionárias com recursos de convênios do Ministério do Turismo e do Sistema S

Fabio Serapião/BRASÍLIA

20 de fevereiro de 2019 | 13h19

Documento que preenche 324 páginas reúne relatórios da Polícia Federal e do Tribunal de Contas da União e despachos da Justiça Federal em Pernambuco que contam os caminhos da Operação Fantoche, deflagrada nesta terça, 19, contra suposto esquema milionário de fraudes com recursos de convênios do Ministério do Turismo e do Sistema S. Dez alvos foram presos, entre eles o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade – solto no final do dia, a pedido da própria PF.

Documento

Fantoche foi autorizada pelo juiz César Arthur Cavalcanti de Carvalho, titular da 13.ª Vara Criminal Federal de Recife, atuando como substituto da 4.ª Vara. Além das ordens de prisão temporária contra dez investigados, o magistrado ordenou buscas em 40 endereços nos Estados de Pernambuco, Minas, São Paulo, Paraíba, Mato Grosso do Sul e Alagoas, e ainda no Distrito Federal.

Tudo o que sabemos sobre:

Polícia Federal

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: