Dom Leonardo, da CNBB, diz a Lewandowski que vê ‘crescente intolerância’ no País

Dom Leonardo, da CNBB, diz a Lewandowski que vê ‘crescente intolerância’ no País

Em visita ao presidente do Supremo Tribunal Federal nesta terça, 29, secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil alertou para 'evidências de maior risco à liberdade de expressão e manifestação'

Fausto Macedo e Julia Affonso

30 de março de 2016 | 15h49

O bispo Leonardo Ulrich Steinere e o presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski. Foto: STF

O bispo Leonardo Ulrich Steinere e o presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski. Foto: STF

Em meio à instabilidade política e econômica e as manifestações de rua que marcam 2016, o secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Leonardo Ulrich Steiner, disse ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, que vê ‘um cenário de crescente intolerância se instalando no País’. O encontro ocorreu nesta terça-feira, 29, no gabinete do ministro.

O bispo externou ao presidente da Corte a preocupação da Igreja ‘com o cenário político e social que o país enfrenta’.

Ao longo da audiência, o secretário-geral da CNBB alertou para ‘evidências de maior risco à liberdade de expressão e manifestação’. Dom Leonardo Steiner vê ‘a necessidade do empenho das instituições e autoridades do país em medidas que levem à promoção da paz social e evitem a produção de conflitos’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.