Doleiro da Lava Jato começa a depor na CPI da Petrobrás

Doleiro da Lava Jato começa a depor na CPI da Petrobrás

Alberto Youssef, personagem central da Lava Jato, já está na audiência; para deputado Ivan Valente esta é a oportunidade para 'confronto de informações'

Redação

11 Maio 2015 | 09h48

Depoimento do doleiro Alberto Youssef à CPI da Petrobrás. Foto: Ricardo Brandt/Estadão

CPI da Petrobrás em Curitiba. Foto: Ricardo Brandt/Estadão

Por Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba

O deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP), um dos membros da CPI da Petrobrás que está em Curitiba (PR), base das investigações da Operação Lava Jato, afirmou que a expectativa é que o depoimento do doleiro Alberto Youssef, personagem central do esquema de corrupção instalado na Petrobrás, possa durar toda esta segunda-feira, 11. Segundo o parlamentar, esta é a oportunidade para se confrontar informações e personagens que até agora não haviam surgido publicamente nos processos da Lava Jato.

A dinâmica da CPI permite uma outra abordagem dos fatos e só o depoimento do doleiro Alberto Youssef tem potencial para que dure o dia todo. O presidente abriu a sessão às 9h36.

Integrantes da CPI da Petrobrás desembarcaram em Curitiba para ouvir os depoimentos de 13 acusados de envolvimento no esquema de cartel e corrupção na Petrobrás, que estão presos. Entre eles os ex-deputados André Vargas (ex-PT, hoje sem partido), Pedro Corrêa (PP) e Luiz Argolo (ex-PP, hoje no SD). Youssef é o primeiro a ser ouvido nesta manhã de segunda-feira, por um grupo de 14 deputados federais da comissão, que tem audiências marcadas até amanhã.

Estão marcados para hoje os depoimentos do ex-diretor de Internacional Nestor Cerveró e do lobista Fernando Antônio Falcão Soares, o Fernando Baiano ligados ao PMDB no esquema de loteamento político na estatal, que envolvia ainda PT e PP. de Mário Góes, de Guilherme Esteves e de Adir Assad, outros três lobistas acusados de operarem propina na Diretoria de Serviços – que era cota do PT – também estão nessa lista.

Amanhã serão ouvidos os depoimentos dos ex-deputados. Eles estão na carceragem do Centro Médico Prisional, na Região Metropolitana de Curitiba. Os interrogatórios serão realizados no auditório da Justiça Federal, em Curitiba. Um grupo de 14 deputados já estão na capital paranaense para início dos interrogatórios, a partir das 9h de hoje.