PF põe filho de general no comando em São Paulo

PF põe filho de general no comando em São Paulo

Delegado Rodrigo Bartolamei, filho do general reformado Gelson Brum Bartolamei, foi escolhido pelo novo diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, para assumir a chefia da maior Superintendência Regional da corporação

Redação

14 de abril de 2021 | 09h25

Menos de um mês após o delegado Denis Cali assumir a chefia da Polícia Federal em São Paulo, o novo diretor-geral da corporação, Paulo Maiurino, decidiu trocar o comando da maior superintendência do País.

O novo chefe da unidade paulista da PF será Rodrigo Bartolamei, que antes estava lotado no Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

Filho do general reformado Gelson Brum Bartolamei, Rodrigo é ex-chefe da Interpol em Brasília. Além disso, o delegado foi coordenador de segurança das Olimpíadas do Rio e já foi chefe de antiterrorismo na diretoria de inteligência policial em Brasília.

Em 2019, o delegado chefiou uma operação na comunidade das Três Pontes, em Cosmos, na Zona Oeste do Rio, para recuperar o telefone celular do advogado-geral da União, André Mendonça, que havia esquecido o aparelho em um carro de aplicativo.

O atual chefe da PF em São Paulo, Denis Cali, foi nomeado no último dia 16 e nem chegou a fazer mudanças na unidade. Antes de assumir o comando da unidade paulista da corporação, no lugar do delegado Lindinalvo Alexandrino de Almeida Filho, Cali chefiou a PF no Ceará.

Também serão realizadas mudanças na PF na Bahia, com a entrada da delegada Virginia Palharini, e em Santa Catarina, onde Luiz Carlos Koff assumirá a chefia.

Maiurino decidiu ainda trocar o chefe do do Serviço de Inquéritos da PF. O delegado Felipe Alcantara de Barros Leal, responsável pelo ofício que diz que não é possível confirmar a autenticidade das mensagens hackeadas da força-tarefa da Lava Jato apreendidas no âmbito da Operação Spoofing, deixa o posto. Em seu lugar, entrará Leopoldo Lacerda.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.