Segovia evita comentar críticas de Janot

Segovia evita comentar críticas de Janot

Ex-procurador-geral afirmou, em entrevista à Reuters, que diretor-geral da PF foi nomeado 'com a missão de desacreditar as investigações'

Constança Rezende/Rio

01 de dezembro de 2017 | 14h49

Fernando Segovia. Foto: AP Photo/Eraldo Peres

O diretor geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, evitou comentar as declarações do ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de que ele teria sido nomeado ao cargo para desviar o foco das investigações contra autoridades da República brasileira.

+ ‘Só pode ser brincadeira’, reage Janot a fala de Segovia sobre mala de R$ 500 mil

A declaração de Janot à agência de notícias Reuters foi publicada nesta sexta-feira, 1. Ao ser questionado sobre as declarações do ex-procurador-geral por jornalistas, Segóvia disse que ainda não tinha visto e logo mudou de assunto.

“Não vi as declarações (de Janot). Eu vim aqui hoje para tratar de segurança pública do Estado do Rio de Janeiro, em parceria com a Polícia Civil e Militar. Ontem, estive com o secretário de Segurança, Roberto Sá, e ficamos mais de três horas discutindo sobre o sistema de segurança pública e a parceria da Polícia Federal com o Rio, para tentar achar soluções para a segurança do Rio”, respondeu. O chefe da PF participou de um seminário na sede da Câmara Americana de Comércio.

Quetionado novamente, ele respondeu: “Não sei quais foram as declarações dele. Ainda vou ler. Eu não posso prejulgar as declarações dele. Eu acredito que, quando eu ler e souber, a gente pode falar alguma coisa”, disse o delegado, antes de ser puxado por assessores e depois de falar por menos de um minuto com jornalistas.

Tudo o que sabemos sobre:

Fernando Segóviarodrigo janot

Tendências: