Dia de eleição registra prisão de ao menos 55 candidatos e condução de 1.714 eleitores, apontam balanços

Dia de eleição registra prisão de ao menos 55 candidatos e condução de 1.714 eleitores, apontam balanços

Operação Eleições 2020, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, registra mais de duas mil ocorrências de crimes eleitorais; dados do Tribunal Superior Eleitoral apontam detenções de candidatos em ao menos 14 Estados

Paulo Roberto Netto, Pepita Ortega e Rayssa Motta

15 de novembro de 2020 | 10h37

Urna eletrônica utilizada nas eleições brasileiras. Foto: Dida Sampaio / Estadão

*Atualizada as 23h com as informações dos balanços atualizados do Ministério da Justiça e Segurança Pública e do Tribunal Superior Eleitoral

O primeiro dia de eleições municipais no País registrou a condução de 1.714 eleitores desde a meia-noite em todo o País, segundo dados da Operação Eleições 2020 do Ministério da Justiça e Segurança Pública. De acordo com o balanço, ao menos oito tentativas de homicídio foram feitas contra candidatos. As informações até o momento foram divulgadas às 21h.

Um segundo balanço, divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral com dados coletados até às 17h30, aponta a prisão de ao menos 55 candidatos — 11 por divulgação de propaganda, 31 por boca de urna, um por uso de amplificadores para divulgação de número de urna, dois por transporte ilegal de eleitores, seis por corrupção eleitoral e quatro por ‘outros motivos’, não especificados pela corte.

As prisões ocorreram em Alagoas (2), Ceará (1), Espírito Santo (1), Goiás (3), Maranhão (1), Minas Gerais (13), Mato Grosso do Sul (4), Paraíba (2), Pernambuco (2), Paraná (10), Rio de Janeiro (5), Roraima (1), Sergipe (9) e São Paulo (1). Os números divergem do divulgado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, que informa a prisão ou condução de 181 candidatos.

Também foram contabilizadas pela pasta 440 ocorrências de compra de votos e 1.211 casos de boca de urna. O balanço lista ainda como crime eleitoral 41 registros de ‘fatos e imputações inverídicas (fake news)’ e 54 ‘indicações de desinformação sobre o processo eleitoral’. Até o momento, 2.484 ocorrências eleitorais foram registradas, além de 272 inquéritos policiais e 1.116 boletins de ocorrência.

Em relação às apreensões, o balanço indica que cerca de R$ 653 mil foram sequestrados durante a operação, assim como 60 armas de fogo e 235 veículos.

Ocorrências de ameaça (136), lesão corporal (55), porte ilegal de arma de fogo (25) e homicídio (8) também foram registradas.

As ações de fiscalização estão sendo conduzidas por autoridades policiais estaduais, como a Polícia Militar, e federais, como a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal. A Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil também contribuem com o balanço, em ações de combate a incêndios e perturbações urbanas, como bloqueio de vias. Ao todo, 329.597 agentes foram mobilizados.

Tudo o que sabemos sobre:

Eleições 2020

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.