Detento é transferido para presídio de segurança máxima após compartilhar rotina na cadeia no TikTok

Detento é transferido para presídio de segurança máxima após compartilhar rotina na cadeia no TikTok

O interno mostrava as dependências do Presídio Dalton Crespo, em Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, em perfil com mais de dois mil seguidores; ele foi identificado durante uma vistoria na segunda-feira, 1, e transferido para Bangu 1

Maria Isabel Miqueletto

02 de novembro de 2021 | 17h56

Um detento do Presídio Dalton Crespo, em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, foi transferido nesta terça-feira, 2, para a penitenciária de segurança máxima Laércio da Costa Pellegrino, mais conhecida como Bangu 1, por registrar e compartilhar a rotina dentro da cadeia em um perfil na rede social TikTok. Nos vídeos, o preso mostra a faxina das celas, os momentos de lazer jogando futebol e até o preparo de misto quente com colegas. O perfil acumula 2586 seguidores.

De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), o detento foi identificado durante uma revista nesta segunda-feira. A vistoria apreendeu, ainda, 17 celulares e 13 chips.

Foto: reprodução/TikTok

O vídeo mais recente, postado nesta segunda-feira, tem quase 50 mil visualizações e mostra ele e um colega preparando um misto quente em uma cela, com a mensagem “bom dia para todos, que Deus proteja nosso dia”. Em outra postagem, ele filma as grades da prisão em meio a lençóis e roupas penduradas.

Em outro vídeo postado, o detento mostra um momento de lazer dos presos, que aparecem jogando futebol, com a mensagem “hoje o dia foi tudo na paz”. Nas imagens, ele filma apenas os pés dos participantes, sem revelar seus rostos. O homem divulgou, ainda, como é um dia de faxina no corredor das celas do presídio.

Além de divulgar as imagens, o detento também interagia com os seguidores nos comentários nas postagens. Em um dos casos, uma seguidora questiona se as visitas estão normais para os internos, pergunta que ele responde com a mensagem “está normal”.

A Seap afirmou que a Corregedoria do órgão irá apurar o ingresso do material não permitido na unidade. “Já iniciamos um procedimento de apuração com a Corregedoria, que irá apurar a ocorrência com o máximo rigor que a lei permitir. É intolerável que os presos continuem tendo acesso ao mundo exterior. Vamos intensificar as ações de repressão e punir quando descobrirmos os envolvidos no ingresso desses materiais não permitidos na unidade”, disse o secretário de administração penitenciária Fernando Veloso, em nota da Seap.

Confira alguns dos vídeos postados pelo detento:

COM A PALAVRA, A SEAP:
“A SEAP informa que, imediatamente, após tomar conhecimento dos fatos de que um preso estaria gravando e divulgando vídeos em redes sociais no Presídio Dalton Crespo, em Campos dos Goytacazes, realizou uma revista geral na unidade, na tarde dessa segunda-feira (01/11), e identificou o preso responsável pela produção das imagens. O mesmo sofrerá as devidas sanções disciplinares e foi encaminhado, nesta terça-feira (02/11), para a Penitenciária de segurança máxima Laércio da Costa Pellegrino (Bangu 1), no Complexo de Gericinó.

Durante a revista no local, também foram encontrados 17 celulares, 13 chips, além de uma pequena quantidade de drogas e outros itens não permitidos. O material apreendido foi encaminhado à delegacia local para realização de registro de ocorrência.

Ressaltamos que a Corregedoria do órgão irá apurar, com rigor, o ingresso do material não permitido.

É importante lembrar que a atual gestão tem realizado, com frequência, operações para impedir o ingresso de materiais ilícitos nas unidades prisionais fluminenses.

O secretário de Administração Penitenciária, Fernando Veloso, afirmou não ser tolerável uma ocorrência como essa. “Já iniciamos um procedimento de apuração com a Corregedoria, que irá apurar a ocorrência com o máximo rigor que a lei permitir. É intolerável que os presos continuem tendo acesso ao mundo exterior. Vamos intensificar as ações de repressão e punir quando descobrirmos os envolvidos no ingresso desses materiais não permitidos na unidade”, concluiu o secretário.”

Tudo o que sabemos sobre:

Bangu 1Rio de Janeiro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.