Desembargador proíbe cultos da igreja de Silas Malafaia no Rio

Desembargador proíbe cultos da igreja de Silas Malafaia no Rio

A decisão acolhe recurso do Ministério Público Estadual e impõe multa de R$ 10 mil para cada dia de descumprimento; em primeira instância, a Justiça havia rejeitado ação da Promotoria. 

Luiz Vassallo

10 de abril de 2020 | 14h39

Silas Malafaia. Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

O desembargador Agostinho Teixeira, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, determinou proibição de cultos na igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, do pastor Silas Malafaia, naquele Estado. A decisão acolhe recurso do Ministério Público Estadual e impõe multa de R$ 10 mil para cada dia de descumprimento. Em primeira instância, a Justiça havia rejeitado ação da Promotoria. 

Documento

Ao decidir, o magistrado ressalta que ‘no momento de distanciamento social que estamos vivenciando, a arte e o lazer também poderiam ser considerados indispensáveis’. “Não se está a discutir neste processo se a fé é essencial a existência humana nem se os templos prestam serviços imprescindíveis. O que se debate é a possibilidade de uma limitação temporária de parte desses serviços”.

O magistrado cita o poeta Ferreira Gullar: ‘a arte existe porque a vida não basta’. “Ainda assim, desde o início da pandemia, todos os museus, cinemas, teatros, bibliotecas, pinacotecas e casas de espetáculo, estão interditados”.

“Penso que, nesse estado de crise, sem precedentes, as igrejas também devam suspender as suas atividades presenciais, resguardando assim a saúde e o direito fundamental à vida”, escreve.

No dia 19 de março, o juiz Marcello de Sá Baptista, do Plantão Judiciário do Rio, suspender os cultos da Assembleia de Deus Vitória em Cristo em todo o Estado.

A ação civil pública havia sido proposta no mesmo dia pelo Ministério Público do Rio de Janeiro após Malafaia publicar vídeo dizendo que não pararia as atividades de sua igreja, mesmo após recomendações de autoridades para que se evite a realização de eventos com aglomerações de pessoas, como parte das medidas necessária para se conter a contaminação pelo novo coronavírus

Tudo o que sabemos sobre:

Silas Malafaiacoronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.