‘Desembargador carteirada’: veja os memes e reações da internet ao magistrado que chamou guarda municipal de ‘analfabeto’

‘Desembargador carteirada’: veja os memes e reações da internet ao magistrado que chamou guarda municipal de ‘analfabeto’

Internautas ironizaram conduta de Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira, do TJ-SP, que chegou a desafiar agente a multá-lo ao ser flagrado sem máscara no litoral paulista

Rayssa Motta

21 de julho de 2020 | 07h15

O desembargador Eduardo Siqueira foi flagrado humilhando guarda municipal e rasgando multa em vídeo que circula nas redes sociais. Foto: Reprodução

Flagrado sem máscara enquanto caminhava na praia em Santos, no litoral paulista, no último sábado, 18, o desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira, do Tribunal de Justiça de São Paulo, chamou de ‘analfabeto’ um guarda civil municipal que lhe pediu que colocasse o EPI, obrigatório em locais públicos durante a pandemia do novo coronavírus.

A postura do magistrado, que chegou a ligar para o secretário de Segurança Pública do município e a evocar um suposto irmão procurador de Justiça para intimidar o agente, foi criticada nas redes sociais.

Internautas ironizaram a ‘arrogância’ do desembargador e chegaram a comparar o guarda responsável pela abordagem a Dalai Lama, chefe de Estado e líder espiritual do Tibete, em referência à paciência do profissional. Ele ouviu do magistrado que ‘não tem autoridade nenhuma’ e chegou a ser desafiado a multá-lo.

Em outra charge, Siqueira é comparado ao policial que asfixiou até a morte o segurança George Floyd, em Minnesota, nos Estados Unidos, em maio.

Entre os memes, o magistrado ganhou o apelido de ‘DC’, ou ‘Desembargador Carteirada’.

Após o episódio, o Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu abrir uma investigação para apurar o caso. Por determinação do corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, o procedimento será conduzido no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O corregedor entendeu que os fatos podem caracterizar conduta que infringe os deveres dos magistrados estabelecidos na Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman) e no Código de Ética da Magistratura.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.