Deputado pede abertura de CPI para apurar desvios na Dersa

Deputado pede abertura de CPI para apurar desvios na Dersa

Pedido se baseia em informações divulgadas pelo 'Estado' sobre a proposta de delação do operador financeiro Adir Assad na Lava Jato na qual ele afirmou ter repassado cerca de R$ 100 milhões para o ex-diretor da estatal Paulo Vieira de Souza

José Maria Tomazela, de Sorocaba

10 Março 2017 | 11h20

Rodoanel. Foto: Marcio Fernandes/Estadão

Rodoanel. Foto: Marcio Fernandes/Estadão

O deputado estadual Raul Marcelo (PSOL), com base eleitoral em Sorocaba, interior de São Paulo, apresentou requerimento na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) para instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar eventuais desvios de recursos em contratos da Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) com empreiteiras, entre 2005 e 2012.

O pedido se baseia em informações divulgadas pelo Estado sobre a proposta de delação do operador financeiro Adir Assad na Lava Jato na qual ele afirmou ter repassado cerca de R$ 100 milhões para Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, ex-diretor da Dersa, estatal responsável por investimentos rodoviários no Estado.

“Nesse momento estamos iniciando a coleta de assinaturas para criar a CPI, já que existem indícios suficientes de desvios de recursos públicos em contratos da estatal”, disse o parlamentar.

Lobista. Preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba desde agosto do ano passado, Assad é apontado como o maior emissor de notas frias para lavagem de dinheiro de empreiteiras suspeitas de envolvimento no escândalo de corrupção na Petrobrás.

Na tratativa com a força-tarefa na capital paranaense, Assad admitiu ter usado suas empresas de fachada para lavar recursos de empreiteiras em obras viárias na capital e região metropolitana de São Paulo, entre elas a Nova Marginal Tietê, o Rodoanel e o Complexo Jacu-Pêssego.

COM A PALAVRA O GOVERNO DE SÃO PAULO:

“O Governo de São Paulo respeita todas as decisões do legislativo paulista”.

COM A PALAVRA, A DERSA:

“A DERSA – Desenvolvimento Rodoviário S/A informa que não lhe cabe se manifestar acerca do livre exercício da atividade parlamentar.”

 

Mais conteúdo sobre:

DERSAPaulo PretoAdir Assad