Deputado em São Paulo propõe cortar salário de todos os parlamentares e do governador para enfrentar o coronavírus

Deputado em São Paulo propõe cortar salário de todos os parlamentares e do governador para enfrentar o coronavírus

Além da maior Assembleia estadual do País, com 94 deputados, a proposta do Tenente Coimbra (PSL) alcança os secretários de Estado e o vice-governador e estima resultar em economia de R$ 1,4 milhão

Pedro Prata

27 de março de 2020 | 06h00

O deputado Tenente Coimbra (PSL), da Baixada Santista, litoral de São Paulo, protocolou projeto de lei às 14h19 desta quinta, 26, no qual pretende o corte de 50% no salário do governador e seu vice, dos deputados estaduais e dos secretários de Estado enquanto perdurar o estado de emergência decorrente da pandemia do novo coronavírus. A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo é a maior do País, com 94 parlamentares.

Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo é a maior do País, com 94 deputados. Foto: Alex Silva/Estadão

“O momento é delicado, exige recursos extras para o enfrentamento dessa epidemia e toda ajuda é necessária para que a gente consiga atender de forma digna no Sistema Único de Saúde”, completa Coimbra.

Ele considera que o Estado vive ‘verdadeiro caos no concernente a dispensar recursos financeiros para o combate à aludida pandemia’. “Nessa toada, deverão ser tomados todos os esforços no sentido de adquirir recursos públicos, bem como a economicidade de verbas públicas, para que as mesmas sejam in totum canalizadas para a prevenção e ao combate ao coronavírus.”

Foto: Alesp/Divulgação

O salário de cada deputado paulista é de R$ 25,3 mil. Já o governador João Doria (PSDB) e seu vice, Rodrigo Garcia (DEM), recebem contracheque respectivamente de R$ 23.048,59 e R$ 21.896,27. Cada secretário de Estado, por sua vez, tem subsídio de R$ 20.743.

O corte de 50% pode levar a uma economia de R$ 1,47 milhão para os cofres públicos todos os meses, estima o deputado. A medida pretende que todo o dinheiro economizado com os cortes seria transferido para o combate e a prevenção da covid-19.

“A Assembleia precisa se mobilizar para analisar e votar o projeto com urgência para que o caixa do SUS seja reforçado e a verba resultante da economia deve ser obrigatoriamente usada no combate à covid-19”, completa.

CONFIRA O PROJETO DE LEI:

Foto: Reprodução

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.