Deputado da Comissão de Ética da Câmara será investigado pelo STF

Deputado da Comissão de Ética da Câmara será investigado pelo STF

Segundo Alberto Youssef, Lázaro Botelho (PP-TO) fazia parte do grupo de políticos do PP que recebia propina

Redação

07 de março de 2015 | 01h43

Por Julia Affonso, Fausto Macedo e Ricardo Brandt

O deputado Lázaro Botelho (PP-TO), um dos componentes da Comissão de Ética da Câmara, será um dos parlamentares investigados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo o doleiro Alberto Youssef, personagem central da Operação Lava Jato, Lázaro fazia parte do grupo de políticos do PP que recebia propina.

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, mandou abrir 21 inquéritos para investigar políticos supostamente envolvidos na Lava Jato. Teori acolheu parte do pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que pediu 28 inquéritos contra 49 parlamentares.

Youssef narrou em delação premiada como era repartido o dinheiro proveniente de contratos da Petrobrás. Segundo ele, a divisão ocorria de forma periódica e abrangia um grande números de parlamentares, de diferentes partidos políticos diversos.

“Havia outros deputados do PP, cuja posição era de menor relevância dentro do partido, que recebiam entre R$ 30.000,00 a R$ 150.000,00 por mês; Que dentre os deputados que tem certeza de que receberam valores, estão Gladison Cameli, Arthur Lira, João Leão, Roberto Britto, José Linhares, Roberto Balestra, Sandes Júnior, Waldir Maranhão, Luiz Fernando Faria, Aguinaldo Ribeiro, Dilceu Sperafico, Eduardo da Fonte, Roberto Teixeira, Simão Sessim, Julio Lopes, Jerônimos Goergen, Afonso Hamm, José Otávio Germano, Luis Carlos Heinze, Renato Molling, Vilson Covatti, Carlos Magno, Aline Corrêa, Missionário José Olímpio, Lázaro Botelho”, afirmou o delator.

Lázaro Botelho. Foto: Luiz Xavier

Lázaro Botelho. Foto: Luiz Xavier

Youssef contou que quem comandava a alta cúpula do Partido Progressista tinha participação maior nos valores a serem recebidos. Ele citou o ex-deputado José Janene, Mário Negromonte, João Pizzolatti, Pedro Corrêa e Nelson Meurer, que receberiam ‘em torno de R$ 250.000,00 a R$ 300.000,00 mensais’.

Além de Botelho, fazem parte da comissão os deputados Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), Cacá Leão (PP-BA), Mauro Lopes (PMDB-MG), Washington Reis (PMDB-RJ), Wladimir Costa (SD-PA), José Carlos Araújo (PSD-BA), Leo de Brito (PT-AC), Sérgio Brito (PSD-BA), Valmir Prascidelli (PT-SP), Zé Geraldo (PT-PA), Betinho Gomes (PSDB-PE), Júlio Delgado (PSB-MG), Nelson Marchezan Junior (PSDB-RS), Sandro Alex (PPS-PR) e Marcos Rogério (PDT-RO).

Nas eleições de 2014, o deputado teve 42.935 votos. Ele foi o quarto candidato a deputado federal mais votado no Tocantins.

 

 

___________________________________

Curta a página do blog no Facebook. Clique aqui!

___________________________________