‘Dependendo da resposta, alta só segunda!! #B17’

‘Dependendo da resposta, alta só segunda!! #B17’

Médica é alvo de investigação da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande por supostamente ter condicionado, por meio de mensagem em rede social, neste domingo, 28, a liberação de um paciente a voto em Jair Bolsonaro; 'é dessa vitamina que o povo brasileiro precisa'

Julia Affonso

29 de outubro de 2018 | 12h12

A Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande informou em nota que vai apurar a conduta de uma médica que, em um mensagem em rede social neste domingo, 28, teria condicionado a alta de um paciente a voto em Jair Bolsonaro (PSL). O deputado venceu a disputa com Fernando Haddad (PT) por 55,13% a 44,87% dos votos válidos.

Um perfil em nome de Beatriz Padovan publicou mensagem com a indicação de localização na área vermelha da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) das Moreninhas.

“Hoje é dia de maldade. Perguntar pro paciente em quem vai votar antes da alta. Dependendo da resposta, alta só segunda!! #B17 É dessa vitamina que o povo brasileiro precisa!”, afirmava a mensagem.

A Secretaria de Saúde destacou que ‘será instaurado um procedimento administrativo para apurar a conduta da profissional e eventuais sanções em detrimento do episódio relatado’. “É necessário que tal trâmite seja realizado antes de determinar por eventual afastamento ou exoneração”, informou a Secretaria.

COM A PALAVRA, A MÉDICA

A página em nome de Beatriz Padovan foi excluída. A reportagem está tentando localizar a médica.

COM A PALAVRA, O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DE MATO GROSSO DO SUL

A reportagem tentou contato com o Conselho por e-mail neste domingo, 28. O espaço está aberto para manifestação.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair Bolsonaroeleições 2018

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.