Delegados pedem ao novo chefe da PF ‘independência funcional’

Em nota, Sindicato da categoria em São Paulo sugere a Rogério Galloro que 'conduza um processo de fortalecimento da Polícia Federal'

Fabio Serapião e Luiz Vassallo

27 Fevereiro 2018 | 20h47

Os delegados de Polícia Federal declararam ‘apoio integral’ ao novo chefe da corporação, Rogério Galloro, mas sugerem a ele que ‘prestigie a independência funcional’ da categoria. Eles querem que Galloro ‘apoie integralmente’ a autonomia da PF, antiga aspiração da classe.

Em nota pública, o Sindicato dos Delegados da PF em São Paulo informou que ‘espera do novo diretor-geral da Polícia Federal, delegado experiente, técnico e com bom histórico na carreira, que conduza um processo de fortalecimento da instituição, impedindo interferências externas’.

Galloro vai assumir a cadeira número 1 da PF em substituição ao delegado Fernando Segovia, que teve vida curta no cargo, menos de quatro meses. Cercado de polêmicas, o apadrinhado do ex-senador José Sarney (MDB/AP) tomou posse no dia 20 de janeiro, mas caiu nesta terça-feira, 27, por ordem do ministro Extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann.

Os delegados apontam para o que classificam de risco de desmonte da Polícia Federal. “É preciso que o novo DG (diretor-geral) considere a necessidade urgente de abertura de concurso público para o preenchimento dos cargos vagos, impedindo assim o desmonte do órgão, que prestigie a independência funcional dos delegados de Polícia Federal e que apoie integralmente a autonomia da PF.”

Mais conteúdo sobre:

Polícia FederalFernando Segóvia