Delegados dizem que Bolsonaro ‘atenta’ contra autonomia da PF

Delegados dizem que Bolsonaro ‘atenta’ contra autonomia da PF

Em nota de repúdio às declarações do presidente sobre exoneração do superintendente no Rio, Sindicato dos Delegados de Polícia Federal em São Paulo afirma que chefe do Executivo é 'desrespeitoso' com a corporação

Fausto Macedo, Pedro Prata e Luiz Vassallo

15 de agosto de 2019 | 14h01

Os delegados da Polícia Federal avaliam que o presidente Jair Bolsonaro age com ‘desrespeito’ e ‘atenta’ contra a autonomia da corporação. Nesta quinta, 15, ele anunciou que vai exonerar o superintendente da PF no Rio, delegado Ricardo Saadi.

Reconhecido entre seus pares como um especialista em investigações sobre crimes financeiros e recuperação de ativos da corrupção estocados no exterior, Saadi comanda a PF no Rio desde abril de 2018. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Bolsonaro alegou ‘questões de produtividade’ e ‘um sentimento’ para tirar Saadi do comando da PF. O presidente disse que vai substituir Saadi pelo delegado Carlos Henrique Oliveira Sousa, superintendente da PF em Pernambuco.

O presidente falou sobre sua decisão ao comentar mudanças na Receita Federal. Segundo ele, todos os ministérios podem passar por alterações. Afirmou que vai mudar o chefe da PF no Rio.

Reconhecido entre seus pares como um especialista em investigações sobre crimes financeiros e recuperação de ativos da corrupção estocados no exterior, Saadi comanda a PF no Rio desde abril de 2018.

Sob condução de Saadi, a PF deflagrou nesse período operações emblemáticas no âmbito da Lava Jato e desdobramentos contra empresários, doleiros e políticos.

Em ‘nota de repúdio‘, o Sindicato dos Delegados de Polícia Federal em São Paulo – Estado onde Saadi atuou por vários anos, antes de assumir a direção do Departamento de Recuperação de Ativos no Ministério da Justiça – assinalou que ‘a escolha de superintendentes compete ao Diretor-Geral da Polícia Federal e a fala do presidente, mais que desrespeitosa, atenta contra a autonomia da Polícia Federal’.

“A Polícia Federal é uma instituição de Estado e deve ter autonomia para se manter independente e livre de quaisquer ingerências políticas”, diz o texto.

A entidade que representa os delegados da PF em São Paulo voltou a defender a aprovação da PEC 412, em curso há 10 anos no Congresso, ‘para garantir a autonomia da instituição’.

LEIA A NOTA DE REPÚDIO DO SINDICATO DOS DELEGADOS ÀS DECLARAÇÕES DE BOLSONARO

Nota de Repúdio às declarações do presidente sobre a exoneração do superintendente da PF*

O Sindicato dos Delegados de Polícia Federal no Estado de São Paulo (SINDPF-SP) manifesta seu repúdio às declarações dadas pelo presidente da República acerca da exoneração do superintendente regional da Polícia Federal no Rio de Janeiro. Evocando um “sentimento” e alegando motivo de “produtividade”, Bolsonaro anunciou sua decisão durante entrevista a jornalistas no Palácio da Alvorada, em Brasília.

A escolha de superintendentes compete ao Diretor-Geral da Polícia Federal e a fala do presidente, mais que desrespeitosa, atenta contra a autonomia da Polícia Federal.

A PF é uma instituição de Estado e deve ter autonomia para se manter independente e livre de quaisquer ingerências políticas. Por isso é tão urgente que se aprove a PEC 412, que tramita há 10 anos no Congresso Nacional para garantir a autonomia da instituição.

Tudo o que sabemos sobre:

Polícia FederalJair Bolsonaro

Tendências: