Delegados desejam ‘sorte’ a Segóvia, mas não abrem mão da lista tríplice

Delegados desejam ‘sorte’ a Segóvia, mas não abrem mão da lista tríplice

Em nota divulgada nesta quarta-feira, 8, a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), principal e mais influente entidade da categoria, declara apoio ao novo diretor-geral da corporação

Julia Affonso e Fábio Serapião/BRASÍLIA

08 Novembro 2017 | 19h29

Foto: Divulgação/Agência Brasil

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), principal e mais influente entidade da categoria, divulgou nota nesta quarta-feira, 8, em que deseja ‘sorte e sucesso’ ao novo diretor-geral da corporação, delegado Fernando Segóvia. Mas os delegados não abrem mão da adoção da lista tríplice – nos moldes da Procuradoria – para escolha do chefe da PF.

Segóvia toma posse dia 20

+ Segóvia ganha apoio de entidades de classe dos federais

“Conforme mencionado reiteradas vezes, a ADPF tem como uma de suas principais bandeiras a mudança na forma de escolha do diretor-geral da Polícia Federal, sempre por meio de lista tríplice, votada pelos delegados federais integrantes da carreira, assim como vem acontecendo em outras instituições”, destaca o texto.

A Associação dos Delegados até já elegeu uma lista tríplice, levada ao então ministro da Justiça Alexandre de Moraes – agora ministro do Supremo Tribunal Federal. Na ocasião, os delegados elegeram três nomes para a cadeira do diretor-geral Leandro Daiello que já falava em sair. Mas a iniciativa não vingou.

“Ao tempo que manifesta a sua disposição em continuar defendendo um processo de mudança cultural e legislativa na escolha do dirigente máximo da Polícia Federal, inclusive com previsão de mandato, a entidade reafirma a disposição de dialogar e colaborar com o novo diretor-geral na busca do fortalecimento do órgão e aprimoramento dos mecanismos de combate à corrupção.”

Mais conteúdo sobre:

Polícia Federal