Delegados da PF reagem à denúncia de Cunha

Em nota, entidade de classe chama de "grosseira" acusação de candidato à presidência da Câmara

Redação

20 de janeiro de 2015 | 21h54

Por Fausto Macedo e Mateus Coutinho

Os delegados de Polícia Federal reagiram à suspeita levantada pelo deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que concorre à presidência da Câmara, de que alguém da cúpula da corporação forjou gravação, a mando do governo, com o objetivo de prejudicar sua candidatura.

Em nota distribuída na noite desta terça feira, 20, a Associação Nacional dos Delegados da PF repudiou a acusação.

Os delegados classificam a declaração do parlamentar como uma “grosseira tentativa de envolver uma série e respeitada instituição em disputas político-partidiárias”.

_______________________________________

VEJA TAMBÉM:

PF já abriu inquérito para investigar denúncia

Parlamentar mostra gravação e se diz vítima de armação

________________________________________

LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA DIVULGADA PELA ASSOCIAÇÃO DOS DELEGADOS DA PF

“A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), repudia veementemente a mera suposição, publicada em veículos de comunicação, de que alguém da cúpula da Polícia Federal tenha, a mando do governo, forjado gravação com o objetivo de prejudicar uma das candidaturas à presidência da Câmara dos Deputados.

Para que não paire nenhuma dúvida acerca da grosseira tentativa de envolver uma séria e respeitada instituição, como a Polícia Federal, em disputas políticas-partidárias, os Delegados Federais manifestam o maior interesse na rápida apuração e elucidação dos fatos com a punição dos eventuais responsáveis.”

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava JatoPolícia Federal