Delegada da Lava Jato é a primeira da lista tríplice a Temer

Delegada da Lava Jato é a primeira da lista tríplice a Temer

Erika Mialik Marena recebeu 1065 votos; Rodrigo de Melo Teixeira ficou em segundo lugar com 924 votos e, em terceiro, Marcelo Eduardo Freitas com 685; Associação de classe pretende entregar relação de nomes como sugestão para a Direção-Geral da PF ao presidente em exercício e ao ministro da Justiça

Julia Affonso, Fausto Macedo, Mateus Coutinho e Ricardo Brandt

31 de maio de 2016 | 12h52

Erika Marena. Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters

Erika Marena. Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters

A delegada de Polícia Federal Erika Mialik Marena, que integra a força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, foi eleita em primeiro lugar para a lista tríplice que será levada ao presidente em exercício Michel Temer. Ela recebeu 1065 votos.

Em segundo lugar ficou o delegado Rodrigo de Melo Teixeira, com 924 votos, e em terceiro, Marcelo Eduardo Freitas com 685. Ambos atuam na PF em Minas Gerais.

Rodrigo-de-Melo-Teixeira

 

A eleição, ocorrida nesta segunda-feira, 30, é uma iniciativa inédita da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF). A entidade pretende entregar o resultado do pleito a Temer e ao ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

A Associação quer o presidente em exercício escolha um dos nomes para assumir a Direção-Geral da PF, cargo ocupado desde 2011 pelo delegado Leandro Daiello – início do primeiro mandato de Dilma.

apoio MP MG

Na gestão de Daiello, a PF executou as mais espetaculares operações contra a corrupção, a maior delas a Lava Jato.

[veja_tambem]

Erika Marena, Rodrigo Teixeira e Marcelo Freitas são reconhecidos como policiais determinados, com história e currículos destacados.

A indicação do chefe da PF por lista tríplice é uma das bandeiras dos delegados federais. Para eles o modelo de escolha contribui para o fortalecimento da instituição, meta prevista na PEC 412/2009 – Proposta de Emenda Constitucional que prevê autonomia à PF.