Delcídio entrega gravação em que Mercadante sugere ‘calma’

Delcídio entrega gravação em que Mercadante sugere ‘calma’

Diálogos foram gravados nos dias 1, 9 e 28 de dezembro de 2015, quando Delcídio já estava preso por tentar barrar a Lava Jato

Julia Affonso, Ricardo Brandt, Fausto Macedo e Mateus Coutinho

15 de março de 2016 | 14h15

trecho-delac-del-merc

O senador Delcídio Amaral (afastado do PT-MS) entregou à Procuradoria-Geral da República gravação entre seu assessor Eduardo Marzagão e o ministro da Educação, Aloísio Mercadante (PT-SP). Os diálogos foram gravados nos dias 1, 9 e 28 de dezembro de 2015, quando Delcídio já estava preso por tentar barrar a Operação Lava Jato.

Em uma das conversas, Mercadante sugere a Marzagão que diga ao ex-líder do Governo no Senado para ‘ter calma e avaliar muito bem a conduta a tomar, diante da complexidade do momento político’.

trecho-delac-del-merc2

trecho-delac-del-merc3

Duas conversas foram gravadas diretamente com o ministro. A terceira, com ‘Cacá’, assessora de Mercadante.

“Que Aloísio Mercadante também afirmou que, em pouco tempo, o problema do depoente seria esquecido e que tudo ficaria bem; que sabe dizer que, em dado momento,
Eduardo Marzagão mencionou que o depoente e sua família estavam gastando dinheiro com advogados e, para tanto, colocando imóvel a venda; que, naquele momento, Aloísio Mercadante disse que a questão financeira e, especificamente, o pagamento de advogados, poderia ser solucionado, provavelmente por meio de empresa ligada ao PT;
que o depoente assim conclui porque este e o modus operandi do PT”, afirmou Delcídio.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: