Delator da Odebrecht diz que deu R$ 23 milhões para campanha de Pezão, que nega

Delator da Odebrecht diz que deu R$ 23 milhões para campanha de Pezão, que nega

Benedito Júnior, o'BJ', ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura, contou ao juiz federal Marcelo Bretas que pegou um milhão de euros no exterior e mais R$ 20 milhões no Brasil

Marcio Dolzan / RIO

15 de agosto de 2018 | 18h34

Luiz Fernando Pezão. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

O ex-executivo da Odebrecht Benedito Júnior disse em depoimento ao juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal Criminal do Rio, que doou cerca de R$ 23 milhões à campanha de Luiz Fernando Pezão (MDB) ao governo do Rio, em 2014. Ele foi ouvido na tarde desta quarta-feira, 15, na condição de delator. Pezão negou, por meio de assessores, a acusação.

Benedito Júnior, o ‘BJ’, ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura e que já firmou acordo de delação premiada, disse a Bretas que combinou o pagamento de um milhão de euros (R$ 3 milhões em valores da época) no exterior, além de R$ 20 milhões no Brasil.

A doação teria sido um pedido do ex-governador Sérgio Cabral (MDB), que está preso.

COM A PALAVRA, PEZÃO

Procurada pelo Estado, a assessoria de Luiz Fernando Pezão informou que ‘o governador reafirma que todas as doações foram feitas de acordo com a legislação eleitoral’.

Tudo o que sabemos sobre:

Luiz Fernando PezãoOdebrecht

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.