‘Defiro’

‘Defiro’

Leia a íntegra da decisão do ministro Marco Aurélio Mello que autorizou a Polícia Federal a enviar para análise nos EUA dois celulares e outros aparelhos eletrônicos apreendidos na investigação contra Aécio

Rafael Moraes Moura e Breno Pires/BRASÍLIA

07 de outubro de 2017 | 05h00

Aécio Neves. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a Polícia Federal a enviar para análise nos EUA dois celulares e outros aparelhos eletrônicos apreendidos em operação que investiga o senador Aécio Neves (PSDB-MG) no âmbito da Operação Patmos, originada na delação do Grupo J&F. O motivo é buscar o desbloqueio dos eletrônicos, que estão protegidos por senha.

Documento

“Defiro o pedido formulado pela autoridade policial, autorizando o encaminhamento do material apreendido para verificação da viabilidade de extração dos dados no exterior, sem prejuízo de os detentores dos aparelhos virem a fornecer, espontaneamente, colaborando para o esclarecimento dos fatos, as senhas necessárias ao acesso pretendido”, decidiu Marco Aurélio.
O pedido partiu do delegado Josélio Azevedo de Sousa, que coordena as investigações do Núcleo Político da Lava Jato na PF. Ele afirmou que o Instituto Nacional de Criminalística não conseguiu o desbloqueio e, por isso, é necessária a remessa do material “à sede da empresa responsável pelo equipamento de extração de informações nos Estados Unidos’.

Tudo o que sabemos sobre:

Aécio Nevesoperação Lava Jato

Tendências: