Defesa pede revogação de prisão de Delcídio

Defesa pede revogação de prisão de Delcídio

Advogado diz que 'aguarda, confiante, a decisão favorável' do Supremo Tribunal Federal; senador foi preso por suspeita de tramar contra a Lava Jato

Fausto Macedo, Julia Affonso e Beatriz Bulla

03 de dezembro de 2015 | 18h46

Delcídio do Amaral foi preso nesta quarta-feira, 25. Foto: Ueslei Marcelino/ Reuters

Delcídio do Amaral foi preso nesta quarta-feira, 25. Foto: Ueslei Marcelino/ Reuters

A defesa do senador Delcídio Amaral (PT/MS) pediu nesta quinta-feira, 3, ao Supremo Tribunal Federal revogação do decreto de prisão preventiva do ex-líder do Governo. Delcídio foi preso no dia 25 de novembro sob suspeita de tramar contra a Operação Lava Jato.

O pedido de revogação é subscrito Maurício Silva Leite. Ele disse que ‘aguarda, confiante, a decisão favorável da Corte’.

Um dos argumentos da defesa é que o senador, ao ser interrogado na Polícia Federal, afirmou que não fez nenhum contato com ministros do Supremo para tentar ajudar o ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró. O executivo está preso desde janeiro deste ano, condenado por corrupção e lavagem de dinheiro.

[veja_tambem]

Em gravação feita por Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da estatal, Delcídio tenta comprar o silêncio do executivo, alegando que iria conversar com ministros da Corte máxima. O senador teme as revelações de Nestor Cerveró, que fez delação premiada com a Procuradoria-Geral da República.

O senador está recolhido em uma sala da Superintendência da Polícia Federal em Brasília.

O pedido de revogação foi protocolado no gabinete do ministro Teori Zavascki.

A ÍNTEGRA DA NOTA DA DEFESA DE DELCÍDIO AMARAL

A defesa de Delcídio do Amaral (PT-MT) pediu nesta quinta-feira (3/12) ao Supremo Tribunal Federal a revogação da prisão do senador. E aguarda, confiante, a decisão favorável da corte.

Maurício Silva Leite, advogado

Tudo o que sabemos sobre:

Delcídio Amaraloperação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.