Defesa pede que executivo deixe carceragem da PF para ir ao hospital

Defesa pede que executivo deixe carceragem da PF para ir ao hospital

Sérgio Mendes, vice-presidente da Mendes Junior, está sentindo fortes dores abdominais e médico solicitou que ele fizesse exames

Redação

14 de janeiro de 2015 | 15h49

Por Mateus Coutinho e Fausto Macedo

A defesa do vice-presidente da Mendes Junior, Sérgio Cunha Mendes, um dos presos da sétima etapa da operação Lava Jato, solicitou à Justiça Federal nesta quarta-feira, 14, que ele possa deixar urgentemente à carceragem da Polícia Federal para ser levado ao hospital.

Segundo a petição assinada pelo criminalista Marcelo Leonardo, o executivo vem sentindo fortes dores abdominais desde o último sábado, 10. “Diante desse quadro, consultado hoje pelo seu médico cardiologista, Dr.Dalton Bertolim Précoma, na custódia, este requisitou a realização do exame de ecografia abdominal, em virtude de provável litíase renal ou apendicite aguda”, assinala o defensor na petição com o pedido do médico anexado.

Veja também:

Procuradoria diz que esquema da Petrobrás ‘não foi estancado’

Cerveró é levado à sede da PF em Curitiba

Marcelo Leonardo destaca ainda que, em caso de apendicite, o réu deverá passar por uma cirurgia urgente. Diante disso, o advogado pede que Sérgio Mendes seja escoltado em caráter de urgência para o Hospital Santa Cruz, em Curitiba, onde poderá realizar os exames.

Sérgio Mendes está entre os 39 denunciados pelo MPF na sétima etapa da Lava Jato, denominada Juízo Final. Ele é réu é uma das cinco denúncias feitas pela Procuradoria da República focando o núcleo empresarial do esquema que desviava recursos da Petrobrás para o pagamento de propinas.

Documento

  • atestadomedico   PDF

Tudo o que sabemos sobre:

Justiça Federaloperação Lava Jato