Defesa diz que Funaro é inocente

Daniel Gerber pediu acesso aos autos e tomará medidas na segunda-feira. Ele nega que seu cliente fará delação premiada

Fábio Fabrini e Fabio Serapião, de Brasília, e Júlia Affonso, de São Paulo

01 de julho de 2016 | 12h39

A defesa de Lúcio Funaro ressaltou nesta sexta-feira, 1, ter ciência da “inocência” de seu cliente. O advogado Daniel Gerber, que representa o operador do mercado financeiro, preso nesta sexta-feira, 1, afirmou que ainda não teve acesso aos autos e que requereu cópia dos documentos da operação. “A partir de segunda-feira, a defesa vai tomar as medidas cabíveis”, informou..

O advogado negou que Funaro vá fazer acordo de delação premiada. “Está descartado, porque não há o que ser delatado”, assegurou.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.