Defesa de Lula pede 55 dias para responder acusação sobre triplex

Defesa de Lula pede 55 dias para responder acusação sobre triplex

Advogados do ex-presidente, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro na compra de apartamento no Guarujá, alegam 'paridade de armas' com os procuradores da Lava Jato

Fausto Macedo, Julia Affonso e Ricardo Brandt

05 de outubro de 2016 | 12h10

O expresidente Lula / AFP PHOTO / NELSON ALMEIDA

O ex-presidente Lula / AFP PHOTO / NELSON ALMEIDA

Alegando ‘necessária paridade de armas’, os advogados do ex-presidente Lula pediram ao juiz federal Sérgio Moro prazo de 55 dias para entregar manifestação da defesa sobre a denúncia da força-tarefa da Operação Lava Jato que atribui ao petista os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso triplex – o imóvel no Condomínio Solaris, no Guarujá, que Lula afirma não ser dele.

Documento

A defesa tem prazo até esta quarta-feira, 5, para entregar seus argumentos a Moro, que já recebeu a denúncia e colocou Lula no banco dos réus da Lava Jato.

Os advogados alegam que tiveram acesso aos autos do inquérito da Polícia Federal apenas em 24 de agosto ‘pois a investigação tramitava de forma oculta’ e que os procuradores da República da força-tarefa da Lava Jato tiveram 55 dias para estudar toda a documentação e preparar a denúncia contra Lula.

A denúncia é uma peça de 149 páginas acompanhada de 305 anexos que somam outras 16 mil páginas. “O Ministério Público Federal teve 55 dias para formular sua acusação”, sustentam os advogados Roberto Teixeira, Cristiano Zanin Martins, José Roberto Batochio e Juarez Cirino dos Santos.

A defesa tem prazo de dez dias para apresentar resposta à acusação.

Na petição ao juiz da Lava Jato, os advogados do ex-presidente pedem que seja determinado ao Ministério Público Federal a apresentação de procedimentos administrativos relativos a licitações de obras da Petrobrás (Refinarias Abreu e Lima, em Pernambuco, e Getúlio Vargas, no Paraná), além de comprovantes de pagamentos da estatal à empreiteira OAS e do histórico funcional, com todos os apontamentos, de quatro ex-dirigentes da Petrobrás, todos réus da Lava Jato – Paulo Roberto Costa, Renato Duque, Jorge Luiz Zelada e Nestor Cerveró.

A defesa pede a dilação do prazo para entrega da resposta à acusação para 55 dias, a contar de 7 de outubro.

Mais conteúdo sobre:

operação Lava JatoLula