Defesa de Dilma afirma que TSE extrapolou objeto da denúncia ao ouvir delatores

Defesa de Dilma afirma que TSE extrapolou objeto da denúncia ao ouvir delatores

A defesa da ex-presidente sustenta que a acusação do PSDB em processo movido contra a chapa vitoriosa em 2014 é 'infundada'

Julia Affonso, Fausto Macedo e Luiz Vassallo

08 de junho de 2017 | 12h07

Dilma Rousseff. Foto: Evaristo Sá/AFP

O advogado Flávio Caetano, que defende a ex-presidente Dilma Rousseff no âmbito processo no Tribunal Superior Eleitoral contra a chapa vitoriosa em 2014, afirmou, nesta quinta-feira, 8, que as acusações do PSDB, autor da ação, são ‘infundadas’ e que houve ‘inaceitável e ilegal extrapolação do objeto’ por parte do relator, Herman Bejnamin, ao ouvir delatores da Odebrecht e os marqueteiros do PT Mônica Moura e João Santana.

Desde terça-feira, 6, os ministros do TSE julgam a chapa Dilma Rousseff-Michel Temer, que pode afastar o presidente da República.

Documento

Tudo o que sabemos sobre:

Dilma Rousseffchapa Dilma/Temer

Tendências: