Defesa de Cartaxo se diz surpresa com denúncia da Zelotes

Advogado de ex secretário da Receita afirma que otaculio cartaxo 'sequer foi ouvido'

Mateus Coutinho

07 de maio de 2016 | 12h21

Em nota divulgada nesta sábado a defesa do ex-secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, se disse “surpresa” com a denúncia contra ele e outras 22 pessoas acusadas de corrupção ativa e passiva no âmbito da Operação Zelotes.

“Ao longo do inquérito policial, Cartaxo sequer foi ouvido pelas autoridades policiais e ministeriais e a sua exclusão do rol de investigados foi expressamente certificada”, afirma o criminalista Rodrigo Mudrovisch no texto.

Em três ações judiciais, a Procuradoria da República sustenta que o Banco Santander e duas empresas de exportação, juntas, teriam pago R$ 4,5 milhões em propina para obter decisões favoráveis no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), órgão administrativo responsável por julgar litígios sobre pagamento de impostos.

De acordo com o MPF-DF, as ‘negociações criminosas’ teriam sido conduzidas por intermediários, consultores e ex-conselheiros do Carf, na tentativa de corromper conselheiros do órgão e servidores da Receita Federal. Dos 23 denunciados, quatro já respondem a outra ação por crime cometido no órgão.

Ex-secretário da Receita Federal entre 2009 e 2010, Cartaxo teria favorecido uma das empresas em um processo na época em que era conselheiro.

VEJA A ÍNTEGRA DA NOTA DA DEFESA DE CARTAXO:

“É com surpresa que a defesa de Otacílio Cartaxo recebe a notícia do oferecimento de denúncia contra ele. Ao longo do inquérito policial, Cartaxo sequer foi ouvido pelas autoridades policiais e ministeriais e a sua exclusão do rol de investigados foi expressamente certificada. A ciência do conteúdo da denúncia ainda não ocorreu. Todos os esclarecimentos necessários serão prontamente apresentados com vistas a comprovar a lisura da atuação de Otacílio Cartaxo”. Rodrigo Mudrovisch