Defensores de Sérgio Moro e da Lava-Jato fazem ato na Avenida Boa Viagem, no Recife

Defensores de Sérgio Moro e da Lava-Jato fazem ato na Avenida Boa Viagem, no Recife

Dois trios elétricos acompanharam as atividades durante o percurso, de aproximadamente 1,5 km

Pedro Moreira/RECIFE

30 de junho de 2019 | 17h03

Foto: Priscila Aguiar/Divulgação

No Recife, o ato em defesa do ministro Sérgio Moro e da operação Lava Jato foi realizado na Avenida Boa Viagem, no bairro de mesmo nome, na Zona Sul do Recife. A mobilização reuniu homens, mulheres e até um boneco gigante do ministro da Justiça. Vestidos de verde e amarelo, manifestantes carregavam bandeiras do Brasil e cartazes, cantaram o Hino Nacional e gritavam palavras de ordem em defesa da Lava Jato e da aprovação da reforma da Previdência e de outras pautas defendidas pelo Governo Bolsonaro (PSL). Dois trios elétricos acompanharam as atividades durante o percurso, de aproximadamente 1,5 km.

Para a dentista Sabrina Soares, de 55, demonstrar apoio ao ministro Sérgio Moro e à Lava Jato é uma “obrigação de qualquer cidadão de bem”. “Estão tentando desestabilizar uma pessoa que deu sangue e suor por nosso Brasil. O ministro Sérgio Moro é um herói. Não podemos deixar que esses corruptores consigam diminuir sua imagem e seu trabalho. O Brasil é um antes da Lava Jato e outro após”, destacou Sabrina, que foi à manifestação acompanhada do marido, Eliel Soares, e das duas filhas, Liana e Cíntia, de 23 e 17 anos.

Uma das coordenadoras do Movimento Vem Pra Rua, que comandou os atos em Pernambuco, Maria Dulce Sampaio, fez questão de destacar o caráter “suprapartidário” da manifestação. “Estamos mais uma vez nas ruas pelo Brasil e pelos brasileiros. Exigimos a aprovação da reforma da Previdência e do pacote anticrime. E , claro, prestar nosso apoio irrestrito à Operação Lava Jata e ao ministro Sérgio Moro. Precisamos é de mais homens como ele para continuar desmontando esquemas de corrupção e punindo os culpados”, pontuou.

Acompanhada de três amigas, a artista plástica Mércia Dantas, de 56 anos, também esteve na manifestação. “Nunca perdi nenhum dos atos em apoio à Lava Jato. Faço questão de vir porque acredito que cada um tem que lutar pelo que acredita e defende. E eu defendo a honestidade e o meu país”. Apesar de muitas figuras políticas terem divulgado o ato em suas redes sociais, a reportagem não encontrou nenhuma liderança na atividade. Nem a organização do evento e nem a Polícia Militar divulgaram estimativa de público.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.