Defensor diz que Palocci ‘continuará colaborando’

Defensor diz que Palocci ‘continuará colaborando’

Criminalista Tracy Reinaldet, que conseguiu tirar ex-ministro da cadeia após acordo com a PF, diz que revelações são amplas e irrestritas

Ricardo Brandt, Julia Affonso e Paulo Roberto Netto

28 Novembro 2018 | 18h23

O advogado Tracy Reinaldet, à dir., na sessão do TRF-4. Foto: Sylvio Sirangelo/TRF-4

O advogado Tracy Reinandet, que defende Antônio Palocci, afirmou que o ex-ministro “continuará colaborando de modo amplo e irrestrito com a Justiça”.

Preso desde setembro de 2016 pela Operação Lava Jato e condenado a 12 anos e dois meses de prisão pelo ex-juiz federal Sergio Moro, Palocci vai voltar para casa, após seu acordo de delação premiada fechado com a Polícia Federal.

A 8.ª Turma Penal do  Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) julgou nesta quarta-feira, 28, o recurso de Palocci e por maioria reduziu a pena do ex-ministro e reconheceu os benefícios da delação, reduzindo sua pena e concedendo direito de progredir de regime prisional.

“Na data de hoje, o TRF-4 reconhece a efetividade da colaboração de Antônio Palocci, reduzindo sua pena e permitindo que ele a cumpra em regime domiciliar.”

Segundo Rainaldet, “a decisão reafirma a seriedade do procedimento de cooperação realizado com a Polícia Federal de Curitiba. Palocci continuará colaborando de modo amplo e irrestrito com a Justiça”.

O ex-ministro dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff pode deixar a Custódia da Polícia Federal, em Curitiba, ainda nesta quinta-feira, 29. Palocci passará para o regime semiaberto domiciliar, monitorado por tornozeleira eletrônica.

O TRF-4 determinou que a alteração do regime de pena de Palocci seja comunicada com urgência à 12ª. Vara Federal de Curitiba, responsável pela execução penal, para cumprimento.