‘Defenderão integridade da ordem constitucional e do regime democrático’, diz Celso sobre eleição de Fux e Rosa Weber para presidência do STF

‘Defenderão integridade da ordem constitucional e do regime democrático’, diz Celso sobre eleição de Fux e Rosa Weber para presidência do STF

Em mensagem divulgada nesta quinta, 25, o decano parabenizou os colegas escolhidos como presidente e vice para o próximo biênio; ministro também fez questão de destacar a importância de impedir 'erros passados e recentes' de autoridades 'que ousaram transgredir a Constituição e desrespeitar as ordens' da Corte

Rayssa Motta

25 de junho de 2020 | 18h47

Os ministros Celso de Mello, Luiz Fux e Rosa Weber. Fotos: Dida Sampaio, André Dusek e Daniel Teixeira / Estadão

O decano Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, se pronunciou nesta quinta-feira, 25, sobre a eleição dos colegas Luiz Fux e Rosa Weber para a presidência e vice-presidência da Corte no próximo biênio.

A votação secreta foi feita a distância, por videoconferência, na sessão plenária desta quinta. O STF tradicionalmente segue o princípio da antiguidade, elegendo para a presidência o magistrado com mais tempo de atuação no tribunal e que ainda não tenha chefiado a Corte.

Em mensagem elogiosa, o ministro mais experiente do Tribunal destacou ‘o valor, a competência, a experiência e as altas virtudes’ da dupla. “São eles os depositários da confiança irrestrita desta Corte Suprema”, escreveu.

Diante dos ataques dirigidos à Corte por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e membros do próprio governo, Celso destacou ainda que os ministros recém-eleitos para presidirem o STF ‘defenderão a integridade e a supremacia da ordem constitucional e do regime democrático e a intangibilidade das decisões’ da Corte, impedindo, segundo o decano, ‘erros passados e recentes em que incidiram autoridades responsáveis pela regência do Estado que ousaram transgredir a Constituição e desrespeitar as ordens legitimamente emanadas desta Alta Corte ou de qualquer outro órgão do Poder Judiciário da República’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: