Decisão da Justiça bloqueia R$ 56,45 mi de envolvidos em esquema de cartel

Decisão da Justiça bloqueia R$ 56,45 mi de envolvidos em esquema de cartel

Mateus Coutinho

08 de novembro de 2013 | 00h00

por Fausto Macedo

A Justiça Federal brasileira decretou nesta quinta-feira, 7, o bloqueio de R$ 56,45 milhões em bens de suspeitos de atuar em um cartel da multinacional francesa Alstom formado para obter contratos metroferroviários de estatais paulistas entre 1995 e 2008, nas gestões dos governadores do PSDB Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin.

O sequestro engloba contas de investimento, ações, títulos do Tesouro, fundo de previdência, créditos imobiliários dos investigados, entre os quais 5 pessoas físicas e três empresas de consultoria. A Polícia Federal imputa aos suspeitos corrupção ativa e passiva, evasão de divisas e lavagem de dinheiro, “crimes relativos a licitações do Metrô de São Paulo e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM)”. Três ex-diretores da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) nos governos Covas e Alckmin tiveram valores confiscados: Oliver Hossepian Salles de Lima (ex-presidente da estatal), Ademir Venâncio de Araújo (ex-diretor de engenharia e obras da CPTM) e João Roberto Zaniboni (ex-diretor de operações e manutenção) – uma filha deste último, Milena, também foi alcançada pela ordem judicial.

Confira a íntegra da decisão do juiz que determinou o bloqueio milionário

 

 

 

 

 

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

Alstomcartel metrôCPTMPF

Tendências: