De saída, diretor-geral da PF aponta aumento de ações contra políticos no Supremo

De saída, diretor-geral da PF aponta aumento de ações contra políticos no Supremo

Rogério Galloro, em mensagem interna, exaltou investigações com 'especial foco no combate à corrupção e ao desvio de verbas públicas’; ele será substituído pelo delegado Maurício Valeixo a partir de janeiro, no governo Bolsonaro

Julia Affonso

25 de dezembro de 2018 | 19h52

Diretor-geral da Policia Federal, Rogério Galloro. FOTO: WALTERSON ROSA/ESTADÃO

Em mensagem interna de fim de ano, o diretor-geral da Polícia Federal Rogério Galloro exaltou as investigações ‘com especial foco no combate à corrupção e ao desvio de verbas públicas’. Galloro apontou ainda o aumento no número de ações contra políticos perante o Supremo Tribunal Federal (STF).

Em março deste ano, a PF formalizou a criação de um grupo para investigar políticos: o Serviço de Inquéritos Especiais (SINQ). O grupo é responsável por todos os inquéritos perante o STF e o Superior Tribunal de Justiça (STJ), o que inclui investigações contra políticos nas operações Lava Jato, Zelotes e Greenfield.

“Em 2018, foram muitas investigações e operações policiais deflagradas, com especial foco no combate à corrupção e ao desvio de verbas públicas. A formalização e a estruturação do Serviço de Inquéritos- SINQ no âmbito da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado, garantiram os instrumentos necessários para a condução dos Inquéritos Policiais que tramitam no Supremo Tribunal Federal, possibilitando a ampliação do número de ações no decorrer deste ano em relação aos anos anteriores”, afirmou Galloro.

Rogério Galloro será substituído, em janeiro, pelo delegado Maurício Valeixo – escolhido pelo futuro ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro (Governo Bolsonaro). O atual diretor-geral será assessor especial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Na mensagem, Galloro agradeceu a todos da Polícia Federal ‘pela dedicação e empenho constantes, sempre no sentido de garantir o sucesso e a evolução da nossa valorosa instituição’.

“Eu não poderia ter tido honra maior em minha vida do que chefiar a nossa amada Polícia Federal e poder trabalhar, juntamente com todos, para fazer avançar uma série de projetos relevantes”, afirmou.

Veja a íntegra da mensagem do diretor-geral da PF, Rogério Galloro

Caros colegas,

O ano que em breve se encerrará foi marcado por grandes desafios e conquistas muito importantes para a Polícia Federal. Gostaria de agradecer a todos pela dedicação e empenho constantes, sempre no sentido de garantir o sucesso e a evolução da nossa valorosa instituição. Tenham certeza de que existe um amplo reconhecimento quanto à contribuição de todos para que esse caminho fosse trilhado sem retrocessos; com a consciência de que o Brasil continuará contando com a lealdade e o trabalho daqueles que realmente fazem a diferença na instituição: o quadro funcional da PF.

Em 2018, foram muitas investigações e operações policiais deflagradas, com especial foco no combate à corrupção e ao desvio de verbas públicas. A formalização e a estruturação do Serviço de Inquéritos- SINQ no âmbito da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado, garantiram os instrumentos necessários para a condução dos Inquéritos Policiais que tramitam no Supremo Tribunal Federal, possibilitando a ampliação do número de ações no decorrer deste ano em relação aos anos anteriores. Também ampliamos a nossa presença policial nas fronteiras do país e chegamos ao recorde histórico nas apreensões de cocaína, com mais de 75 toneladas da droga, retiradas de circulação.

Eu não poderia ter tido honra maior em minha vida do que chefiar a nossa amada Polícia Federal e poder trabalhar, juntamente com todos, para fazer avançar uma série de projetos relevantes. Com destaque para a execução de quase 100% do orçamento desse ano, foi possível concluir a construção e a reforma de unidades, além da aquisição de equipamentos indispensáveis à nossa atividade.

Lutamos juntos também por outra árdua conquista: o incremento no orçamento da PF para 2019, tendo a certeza da continuidade do processo de evolução institucional. O recentemente lançado Sistema de Informações Gerenciais, Contábeis, Orçamentárias e Financeiras – SIGCOF certamente ajudará no controle e na qualidade do gasto, dando ainda mais eficiência à administração e permitindo o melhor direcionamento dos recursos; assim como a criação da Diretoria de Tecnologia da Informação e Inovação – DTI vem garantindo a priorização das ações de modernização do órgão.

Nesse ano, também foi lançado um concurso público, já em pleno andamento, para que sejam contratados 500 novos policiais, de modo a diminuir o déficit de servidores no quadro. Também conseguimos alterar a legislação para permitir a construção de residências funcionais para os policiais que atuam na área de fronteira o que representa um significativo avanço para a melhora da nossa atuação nos locais mais distantes de nosso país.

No tocante à cooperação policial internacional, a ativação do Centro de Cooperação Policial Internacional- CCPI no Rio de Janeiro e a eleição do Diretor Geral da PF para exercer a secretaria executiva da Comunidade de Polícias da América – Ameripol contribuem para a ampliação do papel brasileiro no combate aos crimes transnacionais.

Com a publicação do novo Regimento Interno, da Política de Gestão de Pessoas, da nova Instrução Normativa de remoções e da portaria que define o tempo de serviço para fins de atividade policial, buscou-se garantir a estabilidade institucional e contribuir para a manutenção de uma relação equilibrada na gestão dos nossos recursos humanos. E para manifestar o reconhecimento e a gratidão pelos relevantes serviços, por valiosa contribuição para com a PF e a segurança pública, disciplinamos também a Medalha do Mérito Policial Federal.

A sempre relevante participação da instituição no apoio à Justiça Eleitoral durante as eleições contou, nesse ano, com a inauguração da estrutura do Centro Integrado de Comando e Controle Eleitoral- CICCE onde, sob a coordenação da Polícia Federal, diversos órgãos parceiros tiveram assento para ajudar a garantir uma eleição segura e plena.

É nesse sentido de realizações presentes e futuras, nas esferas pessoais e profissionais de todos os servidores policiais e administrativos, ativos ou aposentados, contratados, estagiários e todos os demais colaboradores da PF e seus respectivos familiares, que a Direção Geral deseja que os símbolos de união, confraternização e paz representados nos festejos do final de ano sejam materializados em um Natal de muitas alegrias e um 2019 repleto de felicidades e novas conquistas. Obrigado a todos!

Rogério Augusto Viana Galloro
Diretor-Geral