Darwin acertou mais uma vez, no mundo de negócios

Darwin acertou mais uma vez, no mundo de negócios

Willian Kahler*

29 de abril de 2020 | 08h30

Willian Kahler. FOTO: DIVULGAÇÃO

Muitos dizem que “é nos períodos de crise que nos superamos”. Outros falam que “enquanto alguns choram, outros vendem lenços”. Tais colocações são corriqueiras e, para alguns, até mesmo inspiradoras, em momentos como o que estamos passando atualmente.

O fato é que as situações sociais e econômicas impostas pelas consequências da covid-19 impactam, sim, o dia a dia e o desenvolvimento de diversos profissionais. Quem trabalha no mercado financeiro começou a sentir ainda as consequências de maneira antecipada nos seus negócios, assistindo à bolsa de valores cair mais de 30% em pouco tempo, e com seis “circuit breakers” em um único mês.

Falando com conhecidos que já trabalham no mercado há 40 anos, todos foram unânimes em dizer que jamais viram algo parecido. A gravidade da situação (potencializada pela globalização, que proporciona mais agilidade na disseminação das informações) fez com que o mercado financeiro, principalmente, tenha sofrido o impacto de maneira abrupta e antecipada.

Mas, claro, o mundo das finanças não é o único impactado. Com a redução natural da circulação das pessoas nas ruas, ou com as restrições em alguns estados para a abertura do comércio e outros negócios, os empresários e trabalhadores de outros setores estão sentindo (e ainda sentirão) os sintomas econômicos desta crise.

E como os profissionais de sucesso no mercado financeiro têm reagido neste momento? Como se destacar e continuar melhorando sua performance em meio a um ambiente que sequer os mais experientes da área já vivenciaram?

A resposta é adaptação.

O ser humano sobrevive há tanto tempo no planeta Terra devido à sua capacidade de adaptação. Acredito que esta adaptação esteja em identificar as peças-chave do nosso trabalho e buscar alternativas de o executarmos – seja em um ambiente de home office, quarentena ou seja qual for a diversidade na qual se está exposto – sem esquecer, é claro, da intensidade!

Aqui as leis da evolução das espécies citadas por Darwin vão valer como nunca – pois estamos tendo de reinventar a nós mesmos. Teremos de evoluir. Muitas companhias estão vendo a sua produtividade aumentar com o trabalho em home office, alguns investidores aprenderam a entender como as suas aplicações reagem em momentos delicados e, por isso, passaram a ser mais adeptos a investimentos com mais risco e, por fim, muitos paradigmas estão sendo superados. Quem ainda relutava em utilizar recursos tecnológicos para potencializar os seus negócios está começando a implementá-los.

Darwin estava certo: os mais bem-adaptados sobreviverão! Reuniões por vídeo, palestras e shows por “lives” e até mesmo show-room online de móveis e imóveis estão acontecendo. É o ser humano colocando seu instinto natural em prática.

O erro é cair no velho pensamento: “Vou esperar as coisas normalizarem para me mexer”. Sabe aquelas frases ditas antes de um grande acidente, do tipo: “Eu não preciso de capacete” ou “pode ir tranquilo, aqui nunca passa ninguém”? Esta é mais uma delas!

Muito provavelmente as coisas terão um “novo normal”, de hoje em diante. E quem espera que a situação volte a ser como era pode ter de esperar para sempre. A história nos mostra inúmeros casos de sucesso que tiveram de atravessar momentos complicados e que, nas crises, tiveram seu ponto de virada, que os levou a ter grandes sucessos.

Pois bem, aqui está a sua oportunidade. São em momentos difíceis que escrevemos histórias!

*Willian Kahler é sócio-diretor de expansão e performance da Messem Investimentos

Tudo o que sabemos sobre:

Artigocoronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.