Daniel Silveira diz que aguarda tornozeleira ‘na entrada do plenário da Câmara’

Daniel Silveira diz que aguarda tornozeleira ‘na entrada do plenário da Câmara’

Deputado bolsonarista informou ao Supremo que, a partir de 8 horas desta quinta-feira, 31, estaria a postos para acatar ordem do ministro Alexandre de Moraes, mas ironiza: 'pede-se o obséquio de não se atrasarem em razão dos inúmeros compromissos parlamentares'

Pepita Ortega

31 de março de 2022 | 08h10

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ). Foto: Dida Sampaio/Estadão (7/2/2019)

O deputado bolsonarista Daniel Silveira informou ao Supremo Tribunal Federal, no final da noite desta quarta-feira, 30, que estaria na entrada do Plenário da Câmara dos Deputados às 8h ‘em ponto’ desta quinta, 31, para colocar a tornozeleira eletrônica, como mandou o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

“Pede-se o obséquio de não se atrasarem, em razão dos inúmeros compromissos parlamentares”, escreveu o advogado do parlamentar, Paulo César Rodrigues de Faria, no ofício juntado às 23h43 aos autos da ação penal a que Silveira por grave ameaça aos ministros da corte máxima e por incitar a animosidade entre o tribunal e as Forças Armadas.

Na noite desta quarta-feira, 30, Silveira anunciou que desistiu de ficar nas dependências da Câmara para fugir da decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal e que iria para sua casa. O parlamentar ainda havia dito que esperaria a Polícia Federal e submeteria ao monitoramento eletrônico por “imposição de sequestro de bens”.

O aliado do presidente Jair Bolsonaro reconsiderou a tentativa de burla à decisão judicial após o ministro Alexandre de Moraes estabelecer multa de R$ 15 mil por cada dia de descumprimento. Além disso, o relator do inquérito das milícias digitais bloqueou as contas do bolsonarista e mandou abrir uma investigação para apurar se ele cometeu crime de desobediência ao descumprir a decisão do STF.

A nova ordem de Alexandre foi proferida após Silveira se negar a colocar o equipamento. A Polícia Federal e a Polícia Penal do Distrito Federal foram até a Câmara para tentar dar cumprimento à ordem dada por Alexandre de Moraes, a pedido da Procuradoria-Geral da República.

O despacho em questão foi enviado para análise do Plenário virtual do Supremo em sessão extraordinária que será realizada nesta sexta-feira, 1, com duração de 24 horas.

Já o julgamento da ação penal a que o deputado Daniel Silveira responde por divulgar um vídeo com apologia ao Ato Institucional Número 5 (AI-5) e discurso de ódio contra integrantes da Corte foi marcada para o dia 20 de abril.

A decisão sobre a recolocação da tornozeleira eletrônica em Silveira também deve ser analisada pelo Plenário do STF no dia 20. Há a expectativa de que as medidas cautelares contra o parlamentar sejam definidas novamente durante o julgamento.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.