Daiello diz que ficou ‘distante’ em reunião com empresário que teria extorquido cliente

Daiello diz que ficou ‘distante’ em reunião com empresário que teria extorquido cliente

Ex-diretor-geral da Polícia Federal depôs na Corregedoria da Polícia Civil em 24 de setembro

Luiz Vassallo

07 de outubro de 2019 | 20h14

Leandro Daiello – Foto: NILTON FUKUDA/ESTADÃO

O ex-diretor-geral da Polícia Federal delegado Leandro Daiello, que hoje atua como advogado, confirmou ter ido a reunião entre seu cliente, PRRB, do ramo de bitcoins, e outro empresário da área digital, Guilherme Aere dos Santos.

O encontro, segundo o próprio B., teria como objetivo, dar um fim a suposta extorsão que envolveu policiais civis e militares.

Documento

Aere, que chegou a ser preso temporariamente, teria ordenado aos agentes de segurança que sequestrassem B, por uma suposta dívida.

 

Após o sequestro, B.teria orientado Daiello a negociar valores para ‘que o assunto acabasse por ali mesmo’.

O ex-diretor-geral da PF foi ouvido no dia 24 de setembro, pela Corregedoria-Geral da Polícia Civil de São Paulo.

Ele disse que ‘foi convidado por Edmilson Bruno (também ex-delegado da PF) para prestar serviço através da empresa dele, de Consultoria e Serviços Administrativos, para a empresa BWA, de propriedade de PRRB, mais especificamente de gerenciamento de riscos’.

“Declara que, no dia 12 de julho de 2019, recebeu um telefonema de Edmilson Bruno, relatando brevemente que PRRB havia sido vítima de uma abordagem policial, na qual teria exigido dele o pagamento de valores, porém, o declarante estava fora de São Paulo, e somente retornaria na próxima terça-feira. Informa o declarante que a reunião do dia 16 de julho não ocorreu.”

“Esclarece que, na data de 22 de julho, foi agendada uma reunião na qual participaram o sr. PRRB, o advogado dele dr. Rafael; Guilherme Aere e o advogado dele, dr. Gustavo Arbach, reunião esta que ocorreu no Shopping Cidade Jardim, sendo que o declarante e Bruno permaneceram um tanto distante, aguardando o desdobramento daquela reunião. Ocorre que, em dado momento, sem qualquer explicação, Guilherme Aere se levantou e se retirou daquele local. Esclarece o declarante que na data de 1 de agosto de 2019, às 17h30, aconteceu uma reunião, na praça de alimentação, mais especificamente no Rei do Mate, da qual participaram o declarante, Bruno, Leandro (este, investigador do Deic), e outros cinco policiais, cujos nomes não sabe declinar”, afirmou Daiello.

Tendências: