‘Cunho pessoal’, diz Bolsonaro sobre convocação de manifestações no zap

‘Cunho pessoal’, diz Bolsonaro sobre convocação de manifestações no zap

A declaração, publicada em seu Twitter, é uma reação às críticas que ele vem recebendo desde que compartilhou vídeo que chamava as pessoas às ruas em seu apoio

Luiz Vassallo

26 de fevereiro de 2020 | 16h56

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quarta-feira, 26, que usa o aplicativo WhatsApp somente para trocar mensagens de ‘cunho pessoal’ com ‘algumas dezenas de amigos’. A declaração, publicada em seu Twitter, é uma reação às críticas que o presidente recebeu após compartilhar vídeo com a convocação de manifestações a seu favor.

“Tenho 35Mi de seguidores em minhas mídias sociais, c/ notícias não divulgadas por parte da imprensa tradicional. No Whatsapp, algumas dezenas de amigos onde trocamos mensagens de cunho pessoal. Qualquer ilação fora desse contexto são tentativas rasteiras de tumultuar a República”, afirmou.

“Ele está enfrentando a esquerda corrupta e sanguinária por nós” e “Vamos mostrar que apoiamos Bolsonaro e rejeitamos os inimigos do Brasil” estão entre as frases no vídeo, que traz imagens da facada que atingiu o presidente durante as eleições de 2018.

O decano do STF, Celso de Mello, afirmou que o caso revela a ‘face sombria de um presidente que desconhece o valor da ordem constitucional’ e que não está ‘à altura do altíssimo cargo que exerce’.

Já o ministro Gilmar Mendes afirmou que as instituições brasileiras ‘devem ser honradas por aqueles aos quais incumbe guardá-las’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.