Cuidando do futuro

Cuidando do futuro

Luiz Oliveira*

15 de maio de 2021 | 06h00

Luiz Oliveira. FOTO: DIVULGAÇÃO

Franco Montoro costumava dizer que “o futuro é agora, e ele se chama juventude”. Colocando em prática os ensinamentos do saudoso governador de São Paulo, o Estado lançou há poucos dias, no Palácio dos Bandeirantes, uma iniciativa totalmente voltada ao aprimoramento profissional dos jovens paulistas: a Casa da Juventude.

O projeto tem três pilares de atuação: Empreendedorismo, Qualificação Profissional e Economia Criativa – tudo para a inserção e a preparação do jovem para o mercado de trabalho, para o primeiro emprego. A proposta parte de um investimento inicial de R$ 20 milhões da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, via Subsecretaria da Juventude, e conta com todo o respaldo e a validação do governador João Doria.

Resultado de parceria entre o Governo de São Paulo e as Prefeituras, a Casa da Juventude é construída em terreno cedido pelos municípios, os quais, ainda nesta esteira de contrapartida, também devem equipar e administrar o espaço.

Mas, tão importante quanto à ideia é a maneira como ela surgiu. Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) divulgados no fim de 2020 sinalizam que a pandemia de Covid-19 fragilizou economicamente os jovens. Em paralelo, o levantamento “Juventudes e a Pandemia do Coronavírus”, do Conselho Nacional da Juventude (Conjuve), também apontou que, 6 em cada 10 jovens relataram alteração na carga horária de trabalho, o que inclui redução ou perda total da atividade laboral.

Em vista desta realidade, a Subsecretaria da Juventude, que é vinculada à pasta estadual de Desenvolvimento Regional, trabalhou em parceria com as Secretarias de Desenvolvimento Econômico, e de Cultura e Economia Criativa do Governo de São Paulo para auxiliar os paulistas de 16 a 32 anos no pós-pandemia do Novo Coronavírus. Assim, foi concebido um projeto para criar condições necessárias para o desenvolvimento pessoal e empresarial do adolescente: a Casa da Juventude.

Buscamos a Secretaria de Desenvolvimento Econômico para oferecer de graça o Novotec Expresso, o Novotec Estágio, bem como cursos da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp) e da Escola de Inovadores. Por meio de capacitação em Robótica, Tecnologia da Informação, Tecnologia Aplicada e Economia Criativa, a Secretaria de Estado de Cultura, por sua vez, vai trabalhar a promoção intelectual e cultural, além da criatividade empreendedora dos adolescentes.

Um dos pré-requisitos para o município receber a Casa da Juventude é abarcar menos de 150 mil habitantes e ter em atividade um Conselho Municipal da Juventude. O colegiado constitui o principal locus de diálogo entre governo e sociedade civil, vale lembrar. Aliás, reconhecendo essa prerrogativa, ativamos o Conselho Estadual da Juventude, criado em 1986. A reestruturação só foi possível graças à lei do então deputado estadual Marco Vinholi, e que hoje é secretário de Estado de Desenvolvimento Regional.

Para incentivar a criação dos Conselhos Municipais e suas manutenções, a Subsecretaria de Juventude também investiu pesado no diálogo com as Prefeituras e lideranças jovens. E o trabalho rendeu frutos positivos. No ano passado, o Estado detinha 11 colegiados do tipo. Agora, são mais de 60 instituídos. Não menos importante: diariamente, recebemos a informação de que novas cidades instituíram ou estão trabalhando na criação de seus Conselhos.

Em paralelo, São Paulo se debruça na capacitação de seus adolescentes e gestores municipais. Desde agosto de 2020, quando de sua criação, a Subsecretaria de Juventude promoveu duas turmas do LabJovem, curso que prepara e auxilia o adolescente na busca de seu propósito de vida, de forma prática e acessível. Foram mais de 2 mil pessoas impactadas.

Quanto aos gestores municipais, demos início em maio à primeira turma do curso Políticas Públicas para a Juventude, oferecido em parceria com a Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). A formação capacita gestores para implementarem políticas públicas de maneira eficiente e precisa pelo Estado.

Sabemos que a presente conjuntura socioeconômica do País gera grandes desafios aos nossos jovens e que o poder público não deve se afastar deste grupo. Pelo contrário, precisa auxilia-lo nesse enfrentamento. É isso que o Governo de São Paulo vem fazendo com entusiasmo: cuidando, e com muita coragem e compromisso, daquilo que nos é mais caro: o futuro.

*Luiz Oliveira, subscretário de Juventude da Secretaria de Desenvolvimento Regional do governo do Estado de São Paulo

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.